Conass prepara reação contra prescrição para vacinação infantil

Carlos Lula, presidente do conselho e secretário de Saúde do Maranhão, se reúne com secretários de outros estados nesta manhã com objetivo de divulgar manifestação

Campanha multivacinação de crianças e adolescentes no Distrito Federal
Campanha multivacinação de crianças e adolescentes no Distrito Federal Breno Esaki/Agência Saúde DF

Thais Arbexda CNN

Ouvir notícia

O Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde (Conass) prepara uma reação à determinação do Ministério da Saúde de exigir prescrição médica para a vacinação contra a Covid-19 de crianças de 5 a 11 anos.

O presidente do Conass, Carlos Lula, que também é o secretário de Saúde do Maranhão, realiza conversas com os pares nos estados na manhã desta sexta-feira (24) com o objetivo de divulgar uma manifestação.

A ideia é que os 27 secretários chancelem o documento que deve ser elaborado pelo Conass.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou na noite desta quinta-feira (23) que a pasta irá autorizar a vacinação contra a Covid-19 para crianças de 5 a 11 anos, mas com prescrição médica e um “termo de consentimento livre esclarecido”.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou, em 16 de dezembro, o uso do imunizante da Pfizer em crianças da faixa etária no Brasil.

“O documento que vai ao ar recomenda a vacina da Pfizer. Nossa recomendação é que não seja aplicado de forma compulsória. Essa vacina estará vinculada a prescrição médica, e a recomendação obedece às orientações da Anvisa”, disse Queiroga.

Mais Recentes da CNN