Correspondente Médico: Como o excesso de trabalho em casa pode afetar a saúde

Neurocirurgião Fernando Gomes explicou como ansiedade, depressão e até burnout podem ser desencadeados por muitas horas ininterruptas de home office

Da CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

Na edição desta segunda-feira (15) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes explicou como o excesso de trabalho em casa durante a pandemia pode afetar a saúde.

O tema foi motivado por uma nova lei aprovada em Portugal, que proíbe empresas de entrarem em contato com funcionários fora do horário de expediente. Isso vale para mensagens por telefone, e-mail ou ligações. A violação pode ser considerada grave e resultar em multa.

Um dos objetivos dessa medida é regulamentar melhor o trabalho remoto, que ganhou força durante o período de isolamento por causa da Covid-19.

No Brasil, ainda não existe lei específica sobre isso, mas o trabalhador pode tentar alguns respaldos na CLT referentes a intrajornada e horário de descanso, por exemplo.

Fernando Gomes destacou que o home office pode ter tantos aspectos positivos quanto negativos. “Se por um lado temos a tecnologia nos ajudando, por outro ficou um desafio porque de fato não dá para falamos para o cérebro que 1 hora trabalhada em casa é equivalente a 1 hora trabalhada na empresa. Isso é novo pra todo mundo”, disse o médico.

Ele ainda ressaltou que muitas pessoas têm dificuldade em separar o ambiente físico da casa e do trabalho, seja por falta de espaço ou de organização. “Além disso, tem a divisão do tempo. Muitas vezes até a pessoa pode ter uma parcela de culpa nisso por procrastinar, empurra um pouquinho mais pra frente aquela entrega de trabalho que deveria ter ou permitir que uma reunião se alongue mais do que deveria.

“A regulamentação vem justamente para ajudar a organizar a vida das pessoas porque sabemos que ansiedade pode aparecer. Se a pessoa tem tendência à depressão, posso ocorrer também e, até mesmo, o burnout pode se manifestar”, completou Gomes.

(Publicado por: André Rigue)

Mais Recentes da CNN