Covid-19: Rio de Janeiro monitora três indianos que estão no Brasil a trabalho

Todos testaram negativo para a Covid-19 e estão em isolamento em um hotel em Campos. O monitoramento é preventivo, segundo o CIEVS/Campos

Monitoramento de variantes (21 de maio de 2021)
Monitoramento de variantes (21 de maio de 2021) Foto: Reprodução / CNN

Thayana Araújo, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

A prefeitura de Campos, no Rio de Janeiro, confirmou nesta sexta-feira (04) que mais três pessoas, de 50, 48 e 46 anos, vindas da Índia estão em isolamento preventivo na cidade em decorrência da variante originária do país asiático confirmada no Brasil.

As coletas de amostragem RT-PCR já foram realizadas e serão encaminhadas para o Laboratório Central Noel Nutels (LACEN/RJ). “Todos testaram negativo para a Covid-19 e estão em isolamento em um hotel em Campos. O monitoramento é preventivo”, informou o Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS/Campos).

Além do homem de 32 anos confirmado com a variante originária da índia em maio, isolado em um hotel da capital, outras quatorze pessoas seguem isoladas em Campos. São elas: os dois trabalhadores que tiveram contato com o caso confirmado e os 12 funcionários do hotel onde paciente positivo pernoitou. 

Eles foram testados, na terça-feira (01) e apresentaram resultado negativo para a Covid-19. O isolamento preventivo se dá pelo fato de terem estado na Índia, país de origem da cepa. A Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro informou à CNN que também segue fazendo o monitoramento diário do caso e de todas as pessoas que tiveram contato com o viajante identificado com a variante indiana. 

Até o momento, nenhum dos contactantes apresentou sintomas, e os que já tiveram resultado do exame foram negativos. O homem de 32 anos confirmado com a cepa da índia se deslocou de São Paulo para o Rio de Janeiro, posteriormente para Campos e depois retornou ao Rio de Janeiro onde também permanece em isolamento num hotel da Zona Sul da cidade.

 

Mais Recentes da CNN