Seis estados registram crescimento da internação de crianças e adolescentes

Crescimento no número de pacientes menores de 17 anos internados foi mais expressivo em São Paulo

Victória CócoloGiovanna Galvanida CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

Pelo menos seis estados registraram alta de internações de menores de 17 anos entre o fim de 2021 e o início de 2022, aponta levantamento feito pela Agência CNN até esta quinta-feira (20).

O aumento mais expressivo foi registrado em São Paulo. Segundo estatísticas da secretaria de Saúde do estado, houve crescimento e 61,3% de pacientes menores de idade internados em UTI’s entre os dias 15 de novembro de 2021 e 17 de janeiro de 2022.

Em 15 de novembro do ano passado, havia 106 pacientes menores de 18 anos internados em estado grave em decorrência da Covid-19. No último dia 17 de janeiro, esse número passou para 171.

“Os dados evidenciam que a nova variante Ômicron do novo coronavírus está contaminando rapidamente nossas crianças e que a vacinação é urgente e fundamental para prevenir casos graves, internações e óbitos nessa população”, afirmou Jean Gorinchteyn, secretário de Saúde de São Paulo, em uma nota emitida pelo governo.

Em nota, o Ceará informou que, até o dia 18 de janeiro, o Hospital Infantil Albert Sabin – unidade da secretaria da Saúde referência em atendimento pediátrico – tinha 100% leitos de enfermaria e UTIs ocupados.

A Paraíba registrou aumento de 6% nos internados em UTI’s e de 7% nas enfermarias, enquanto o Rio Grande do Norte afirma que a alta foi de 50%. Ambos estados não especificaram a quantidade de pacientes jovens ou crianças admitidas nas unidades de saúde.

Roraima informou ter “notado o crescimento gradativo no número de pacientes internados nos últimos dias”, e Minas Gerais também contabilizou mais internações. Não houve detalhamento dos dados.

Vacinação infantil avança

Todas as capitais estaduais e o Distrito Federal já aplicaram as primeiras doses da vacina pediátrica contra a Covid-19, destinada a crianças entre 5 e 11 anos de idade, segundo levantamento feito pela Agência CNN.

Nesta quinta-feira, as cidades de Palmas (TO) e Cuiabá (MT) iniciaram a campanha e completaram a lista no âmbito nacional.

Até o momento, a vacina da Pfizer é a única liberada pela autoridade sanitária para ser aplicada nesta faixa etária. A Anvisa avalia nesta quinta-feira a viabilidade de liberar, também, a imunização com a Coronavac.

O imunizante da farmacêutica norte-americana recebeu autorização da Agência Nacional de Vigilância de Saúde (Anvisa) em 16 de dezembro para ser aplicado em crianças de 5 a 11 anos no Brasil.

Mais Recentes da CNN