Ex-presidente da Anvisa: ‘Uso emergencial não será aprovado sem todos os dados’

'A responsabilidade de apresentação dos documentos para os técnicos é do Butantan e da Fiocruz', diz Dirceu Barbano

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

A decisão da Anvisa sobre o uso emergencial das vacinas de Oxford e da Coronavac, marcada para domingo (17), pode ser comprometida caso o Instituto Butantan e a Fiocruz não apresentem os dados faltantes para a análise dos pedidos. O alerta é do ex-presidente da agência, Dirceu Barbano, em entrevista à CNN nesta sexta-feira (15).

“A responsabilidade de apresentação dos documentos para os técnicos analisarem é das duas instituições, Butantan e Fiocruz. A bola está com elas, que pediram o uso. Os diretores não terão condições de aprovar o uso emergencial sem que os técnicos deem seu aval a partir das informações que as empresas deveriam ter apresentado”, explica.

Se o material não for avaliado a tempo, a definição pode ser adiada. “Na medida em que esses dados não estiverem disponíveis, a decisão pode ser comprometida. Os técnicos podem indicar aos diretores as lacunas, as informações que estão faltando e isso pode leva-los a eventualmente remarcar a reunião e protelar a decisão”, aponta Barbano.

(Publicado por: André Rigue)

Mais Recentes da CNN