Fiocruz analisa dois casos suspeitos da Doença de Creutzfeldt-Jakob no Rio de Janeiro

Em um primeiro momento, a Fiocruz havia informado que se tratavam de suspeitas de Encefalopatia Espongiforme Bovina, aspectos clínicos e radiológicos apontaram as suspeitas para a DCJ

Castelo Mourisco, sede da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro
Castelo Mourisco, sede da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro André Az/Fiocruz

Lucas RochaThayana AraújoBeatriz Puenteda CNN

em São Paulo e no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) informou nesta quinta-feira (11), que analisa dois casos suspeitos da Doença de Creutzfeldt-Jakob (DCJ).

Em um primeiro momento, a Fiocruz havia informado que se tratavam de suspeitas de Encefalopatia Espongiforme Bovina, conhecida popularmente como doença da vaca louca. No entanto, considerando aspectos clínicos e radiológicos, a fundação explicou que as suspeitas se concentram sobre a DCJ.

Os pacientes estão internados no centro hospitalar criado para a pandemia de Covid-19 no Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI/Fiocruz), no Rio de Janeiro. A Fiocruz não informou detalhes sobre a identidade dos pacientes, como sexo e idade.

“Esta forma esporádica não tem relação com o consumo de carne. Reiteramos que os pacientes estão internados no Centro Hospitalar para a Pandemia de Covid-19 do INI e que ambos os casos não têm confirmação diagnóstica”, diz a nota da Fiocruz.

Em nota, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) reforçou que a doença ocorre, na maioria dos casos, de forma esporádica e tem causa e fonte infecciosas desconhecidas.

“Desta forma, os casos suspeitos não têm relação com consumo de carne bovina ou subprodutos contaminados com Encefalite Espongiforme Bovina (EEB), conhecida como doença da ‘Vaca Louca'”, disse o ministério.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, os casos suspeitos são de moradores de Belford Roxo e de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. “As notificações foram encaminhadas à Secretaria Estadual de Saúde para desenvolvimento de ações junto às secretarias dos municípios de residência”, informou a secretaria em nota.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde de Belford Roxo informou que não foi notificada sobre nenhum caso da doença no município.

Uma versão inicial deste texto informava que a Fiocruz trabalhava com a possibilidade de suspeita de alite Espongiforme Bovina (EEB), conhecida como doença da ”Vaca Louca”. No entanto, em um segundo momento tanto a Fiocruz quanto o Mapa descartaram a possibilidade e passaram a trabalhar com a suspeita de a Doença de Creutzfeldt-Jakob (DCJ). O texto foi atualizado para refletir os posicionamentos mais recentes das instituições.

Mais Recentes da CNN