Governo brasileiro vai monitorar passageiros do Reino Unido

Os passageiros terão que informar se apresentam algum sintoma da Covid-19 no período de 14 dias

Aeroportos brasileiros devem ter quase 2 milhões de passageiros no Natal de 2020 (20.dez.2020)
Aeroportos brasileiros devem ter quase 2 milhões de passageiros no Natal de 2020 (20.dez.2020) Foto: Reprodução / CNN

Kenzô Machida, da CNN em Brasília

Ouvir notícia

O governo brasileiro vai monitorar pelo período de 14 dias os passageiros que desembarcarem de voos internacionais vindos do Reino Unido.

Os passageiros terão que informar durante o citado período se apresentam algum sintoma da Covid-19. De acordo com fontes ouvidas pela CNN, a ação de controle já começou.

Leia e assista também:

Pfizer e Moderna testam eficácia de vacinas contra mutação da Covid-19

Brasil terá medidas de restrição para voos originários do Reino Unido

Doses são suficientes, mas vacina atrasada obriga seleção de grupos prioritários

Os dados dos passageiros que constam no sistema da Receita Federal serão compartilhados com o sistema nacional de vigilância sanitária e com o Ministério da Saúde.

A decisão foi tomada após uma reunião do Grupo Executivo Interministerial (GEI), que é responsável pela decisão sobre o fechamento ou abertura de fronteiras e de políticas restritivas para entrada no país.

O grupo foi criado em janeiro deste ano e tem como objetivo estabelecer medidas de preparação e enfrentamento a pandemia de Covid-19.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) participa do grupo como órgão de caráter técnico, fornecendo os subsídios necessários para a avaliação e decisão dos ministérios.

Destaques do CNN Brasil Business:

Fim do mistério: nos 40 anos do Chester, empresa divulga fotos do animal vivo

Vinhos e espumantes por menos de R$ 100 para comemorar as festas de final de ano

Mais de 40 países anunciaram nessa segunda-feira (21) bloqueios à entrada de viajantes oriundos do Reino Unido. Os vetos vieram dois dias após o governo britânico endurecer as regras de lockdown em outras cidades, para tentar conter uma mutação do novo coronavírus.

Mais Recentes da CNN