Ministério da Saúde prorroga custeio de leitos de UTI para Covid em todo país

Custeio valerá por 30 dias e contemplará 14.254 leitos de UTI adulto e pediátrico

Ingrid OliveiraLucas Janoneda CNN

Ouvir notícia

O Ministério da Saúde, decidiu prorrogar por 30 dias o custeio de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) por todo país.

A informação foi confirmada em nota pela pasta, que diz que a medida foi tomada junto ao Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems).

Segundo o Ministério, a medida vale para 14.254 leitos de UTI Covid-19 adulto e pediátrico.

De acordo com o secretário municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Daniel Soranz, o governo federal vai reabrir 400 leitos na capital fluminense.

São 250 novas vagas no Hospital Federal de Bonsucesso e mais 150 no Clementino Fraga Filho.

O governador do Piauí, Wellington Dias, que é coordenador da temática de vacina e enfrentamento à Covid-19 no Fórum Nacional de Governadores, se manifestou afirmando que a decisão foi “acertada”. “Importante decisão para um momento em que vários estados e municípios têm muitas regiões de saúde com elevado número de pacientes, e não só para Covid, mas também outras doenças. Decisão acertada e agradecemos”, diz a nota.

Relembre o pedido

Os governos tentavam prorrogar o contrato de leitos excedentes aos estados, que terminaria no dia 31 de janeiro.

As tratativas foram encabeçadas pelo governador do Piauí e presidente do Fórum de Governadores, Wellington Dias. Pelo lado do governo federal, quem estava à frente das conversas eram o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, e o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz.

O texto do MS ainda informa que a pasta segue monitorando a situação epidemiológica no país e caso seja necessário novas prorrogações a pasta irá avaliar.

Avanço da Ômicron

A medida vem em meio ao avanço da variante Ômicron no país. Na quarta-feira (19), o Brasil bateu recorde e registrou 200 mil casos de Covid em 24 horas.

Um dia depois, na quinta-feira (20) o mundo também alcançou recorde, com 3,79 milhões de casos da doença. A variante Ômicron, muito contagiosa, é associada a altos índices de novas infecções.

 

Mais Recentes da CNN