Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Para atingir 100% de imunização, Rio precisa vacinar 1,72 milhão de pessoas

    No entanto, cidade tem 586.123 moradores que não voltaram para tomar a segunda dose e outras 63.292 que sequer tomaram alguma dose das vacinas contra a Covid-19

    Douglas Lopes/Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)

    Iuri CorsiniMaria Mazzeida CNN

    no Rio de Janeiro

    Para atingir 100% da população de até 12 anos com o ciclo vacinal completo, a cidade do Rio de Janeiro ainda precisa imunizar 1,72 milhão de pessoas contra a Covid-19. Considerando que o Rio tem vacinado, em média, 38,4 mil pessoas por dia, a capital poderá conseguir imunizar toda a sua população até a primeira semana de dezembro deste ano.

    No entanto, esse processo está sendo comprometido pelas 586.123 pessoas que não voltaram para fazer a segunda dose e outras de 63.292 que sequer tomaram alguma dose do imunizante.

    Atualmente, na capital, 61,3% da população está totalmente imunizada. O índice se aproxima do percentual que a prefeitura considera como meta para começar a flexibilizar o uso de máscara (65%) que, segundo o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, deve ser alcançado nesta semana.

    Os moradores da cidade que, pelo calendário da prefeitura, já deveriam estar com o ciclo vacinal completo são pessoas a partir dos 30 anos. Apesar de constar no planejamento municipal, não há obrigação legal para que se vacinem nas datas estipuladas.

    O município segue imunizando qualquer pessoa a partir dos 12 anos que não tomou nenhuma das doses do imunizante ou que está na fase da segunda dose, mesmo que passado o tempo estipulado.

    Essas pessoas que sequer tomaram uma dose não são contabilizadas pela prefeitura como atraso. Ou seja, uma pessoa de 80 anos que até agora não procurou uma unidade de saúde para se vacinar, não entra na estatística oficial de atrasados. Para o município, só entram na conta aqueles que tomaram a primeira dose, seja na data que for, e perderam o prazo para a segunda dose.

    De acordo com o levantamento feito pela CNN, a faixa etária que mais está comprometendo a vacinação no Rio vai 30 a 39 anos. São 14.981 pessoas que não tomaram nenhuma das doses e 371.992 que tomaram apenas a primeira dose. Depois, vem a faixa etária de 40 a 49 anos, com 97.984 pessoas que ainda não voltaram para tomar a segunda dose do imunizante.

    Contabilizando apenas as pessoas que, pelo calendário da prefeitura, já deveriam ter completado o ciclo vacinal, há ainda 54.898 cidadãos entre 50 a 59 anos, 28.895 de 60 a 64 anos, 14.694 de 75 a 79 anos e 10.588 pessoas a partir dos 80 anos em que atraso com a segunda dose.

    Com as pessoas abaixo dos 30 anos que ainda estão dentro dos prazos de retorno para receber a segunda dose do imunizante, são 560.964 entre 20 e 29 anos que receberam apenas a primeira dose da vacina contra a Covid-19, 124.256 entre 18 a 19 anos e 454.712 jovens de 12 a 17 anos.

    A vacinação com a segunda dose na faixa etária de 12 a 17 anos ainda não começou e, por isso, não pode ser contabilizado atraso nestes casos.

    Flexibilizações

    A prefeitura do Rio tem comunicado que quando alcançar o percentual de 65% de sua população totalmente vacinada, vai flexibilizar ainda mais as medidas de contenção da pandemia e pretende liberar o uso de máscaras na cidade.

    A previsão do secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, é de que este percentual seja alcançado ainda nesta semana. Para chegar neste patamar, são necessárias que cerca de 249.853 pessoas tomem a segunda dose da vacina ou a dose única do imunizante.

    No entanto, a Fiocruz recomenda que a flexibilização da máscara aconteça quando a cidade estiver com 80% da população com esquema vacinal completo. E para atingir este patamar, 1,2 milhão de pessoas ainda precisam ser vacinadas na capital.

    Avanço da dose de reforço

    Os números mais positivos da última semana foram em relação ao avanço da vacinação da dose de reforço na população. Mesmo com a imunização de reforço tendo sido paralisada no último sábado por falta de vacinas, atualmente 505.994 de pessoas a partir dos 20 anos já receberam o reforço do imunizante.

    Os idosos acima dos 80 anos puxam esse número. São 151.095 pessoas nesta idade que receberam as três doses. Depois, aparecem os idosos entre 70 a 74 anos, com 150.054 imunizados com a dose de reforço, seguidos dos idosos de 75 a 79 anos (104.607 com dose de reforço), idosos de 65 a 69 anos (58.560), entre 60 a 64 anos (13.584), pessoas entre 40 a 49 anos (8.638), 30 a 39 anos (8.408), 50 a 59 anos (7.570), e pessoas entre 20 a 29 anos (3.478).

    A vacinação de reforço retomará apenas na quinta-feira (21), quando a previsão é de que o Ministério da Saúde entregue as remessas atrasadas da semana passada.

    Números gerais

    Até o fechamento desta matéria, a capital fluminense havia aplicado 10,3 milhões de doses das vacinas contra a Covid-19. São 5.715.784 pessoas vacinadas com a 1ª dose, 3.997.705 imunizadas com ambas as doses e 141.766 pessoas que se vacinaram com a dose única do imunizante.

    No estado do Rio, foram 20.770.865 de doses aplicadas, sendo 12.378.078 de primeira dose, 7.513.929 de segunda dose, 523.428 de doses de reforço e 355.430 de dose única.