Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Possível transmissão de Monkeypox de homem para cão não é surpreendente, diz OMS

    Doze dias após o início dos sinais nos humanos, um galgo italiano de quatro anos também começou a apresentar sintomas

    Imagem de microscopia do vírus Monkeypox, que causa a varíola dos macacos
    Imagem de microscopia do vírus Monkeypox, que causa a varíola dos macacos National Institute of Allergy and Infectious Diseases (NIAID)

    Naomi Thomasda CNN

    O primeiro caso possível de transmissão de homem para cão de varíola dos macacos — recentemente relatado em dois homens e o animal de estimação em Paris — tinha sido um risco teórico até agora, disse Rosamund Lewis, líder técnica de resposta à varíola dos macacos da Organização Mundial da Saúde.

    Os homens, que moram juntos e estão em um relacionamento não exclusivo, foram diagnosticados com varíola em um hospital de Paris no início de junho.

    Doze dias após o início dos sinais nos humanos, o galgo italiano de quatro anos também começou a apresentar sintomas, de acordo com um relatório publicado na semana passada na revista The Lancet.

    O cão desenvolveu lesões e testou positivo para o mesmo tipo de varíola de um dos donos.

    De acordo com o relatório, os homens disseram que deixaram o cachorro dormir na cama com eles e que tiveram o cuidado de manter o animal de estimação longe de outros animais ou humanos desde o início de seus próprios sintomas — antes que os sinais da doença no cachorro começassem.

    “Até onde sabemos, a cinética do início dos sintomas em ambos os pacientes e, posteriormente, em seu cão, sugere a transmissão do vírus da varíola de macaco de humano para cão”, escreveram os autores do relatório.

    “Dadas as lesões na pele e nas mucosas do cão, bem como os resultados positivos da PCR do vírus da varíola dos macacos de swabs anais e orais, hipotetizamos uma doença canina real, não um simples transporte do vírus por contato próximo com humanos ou transmissão aérea (ou ambos). ”

    Os autores sugeriram que o estudo deve estimular a discussão sobre se os animais de estimação precisam ser isolados de seus donos se tiverem varíola dos macacos, e pediram mais pesquisas.

    Informações são novas, mas não surpreendentes, diz OMS

    Lewis disse que anteriormente, apenas a transmissão do vírus de animal para humano foi relatada, fazendo referência a um surto de varíola nos EUA em que as pessoas foram infectadas com o vírus através de cães de pradaria de estimação.

    “Este é o primeiro incidente que estamos aprendendo sobre onde há transmissão de humano para animal”, disse Lewis durante um evento do Washington Post Live na segunda-feira. “Isso não foi relatado antes, e não foi relatado que cães foram infectados antes”.

    “Em vários níveis, esta é uma informação nova”, disse ela. “Não é uma informação surpreendente, e é algo que estamos atentos.”

    Ela observou que, dentro da OMS, especialistas têm trabalhado com parceiros como a Organização Mundial de Saúde Animal e a Organização para Alimentação e Agricultura para resolver o problema.

    “A mensagem que foi dada até agora é que os animais de estimação devem ser isolados dos membros da família que podem estar infectados”, disse ela.

    “Este foi um exemplo de abordagem de precaução, mensagens de precaução, porque não tínhamos a informação de que isso já havia acontecido antes, não havia sido relatado antes, mas era uma mensagem razoável e cautelosa para dar. E agora temos o primeiro incidente em que isso realmente ocorreu.”

    Lewis disse que não está claro se o cão infectado será capaz de transmitir o vírus de volta aos humanos. Mas às vezes, mesmo quando não têm todas as evidências, os profissionais de saúde pública precisam descobrir as mensagens mais úteis que permitirão às pessoas avaliar seu nível de risco.

    “Este é um exemplo em que a maioria dos animais de estimação não estará em risco, pode ser apenas aqueles que estão realmente na casa de alguém infectado”, disse ela.

    CDC diz que pessoas infectadas devem ficar longe de animais

    Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA atualizaram recentemente sua página sobre a varíola dos macacos em animais para reconhecer que os cães podem ser infectados com o vírus.

    Ainda estamos aprendendo quais espécies de animais podem pegar varíola”, disse a agência. “Embora não saibamos se répteis, anfíbios ou pássaros podem pegar varíola, é improvável, já que esses animais não foram infectados com outros ortopoxvírus”.

    O CDC também observa que os animais infectados podem espalhar o vírus para as pessoas, e é “possível que as pessoas infectadas possam espalhar o vírus Monkeypox para animais através de contato próximo, incluindo acariciar, abraçar, beijar, lamber, compartilhar áreas de dormir e compartilhar comida.”

    A agência aconselha as pessoas com varíola a evitar o contato com animais, incluindo seus animais de estimação.

    Animais de estimação que tiveram contato próximo com alguém com sintomas de varíola devem ser mantidos em casa e longe de outros animais e pessoas por 21 dias após o contato mais recente, disse o CDC. As pessoas infectadas não devem se aproximar de seu animal de estimação exposto; eles devem pedir a outra pessoa dentro da casa para cuidar dela, se possível.

    Se a pessoa infectada e o animal de estimação não tiveram contato próximo após o início dos sintomas, o CDC recomenda pedir a alguém que more em outro lugar para cuidar do animal até que haja uma recuperação completa do vírus.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original