Presidente da Anvisa pede entendimento a autoridades: já temos problemas demais

Supremo Tribunal Federal decidiu que estados e municípios brasileiros podem comprar vacinas contra Covid-19 aprovadas no exterior

da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O presidente da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Antonio Barra Torres, falou, em entrevista exclusiva à CNN nesta quinta-feira (17), sobre a corrida pela vacina contra a Covid-19 no Brasil, pediu “conciliação e entendimento” às autoridades nacionais e afirmou que a agência está acostumada a trabalhar sob pressão, embora isso não seja bom.

“Isso acaba se refletindo sobre os nossos servidores, que já estão tremendamente pressionados na busca por soluções no menor tempo possível. O que esperamos é que, de fato, as autoridades envolvidas cheguem aos denominadores comuns, à conciliação e entendimento para que nosso trabalho possa se dar, e que não somemos problemas aos que já existem. Já temos problemas demais”, disse.

Assista e leia também:

Com pacientes com sequelas, hospitais se especializam em tratamento pós-Covid-19

STF forma maioria pela obrigatoriedade da vacina contra a Covid-19

Brasil registra mais 1.092 mortes por Covid-19, maior número desde junho

O Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou hoje que estados e municípios possam comprar vacinas aprovadas por países estrangeiros. Barra Torres afirmou que “as determinações do STF são cumpridas”.

Destaques do CNN Brasil Business:

Strada, Tracker e elétrico da Audi: relembre carros lançados em 2020 no Brasil

Governo prevê salário mínimo de R$ 1.088, mas valor pode ter que ser maior

Bitcoin e criptomoedas: entenda o que são e como investir

“Não tivemos acesso ao texto oficial, mas faremos todo o possível para o acatamento integral do que está ali preconizado. É claro que prazos podem ser difíceis de serem cumpridos em função do volume de informações, mas, nem por isso, deixaremos de tentar esse cumprimento. Aguardamos obter formalmente essa definição para que possamos fazer os ajustes necessários”, afirmou.

(Publicado por Daniel Fernandes)

Mais Recentes da CNN