Psicofobia: preconceito com pessoas que tem transtornos mentais agrava sintomas

No quadro Correspondente Médico, Fernando Gomes explicou como pacientes psiquiátricos podem ficar inseguros ao serem vítimas de psicofobia

Da CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

Na edição desta terça-feira (16) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes explicou como a psicofobia — preconceito contra pessoas que têm transtornos mentais — pode afetar os pacientes psiquiátricos.

No Brasil, cerca de 50 milhões de pessoas sofrem algum tipo de doença mental, segundo dados da Associação Brasileira de Psiquiatria. Os diagnósticos são variados: depressão, transtornos de humor, déficit de atenção, ansiedade, entre outros. São doenças que podem afetar todas as faixas etárias, de crianças a idosos.

O médico explica que qualquer transtorno mental pode parecer invisível às outras pessoas e, por isso, quem está próximo nem sempre consegue perceber o sofrimento do paciente psiquiátrico.

“Quando se coloca o preconceito em cima disso, se põe luz sobre esse problema como se tivesse descobrindo a pessoa e dando uma relevância muito maior do que de fato aquilo pode representar. Portanto, esse preconceito pode ser extremamente maléfico e até agravar alguns problemas de ordem mental”, disse Fernando Gomes.

O especialista também aponta que, historicamente, sempre houve uma preocupação em identificar a sanidade mental como um traço importante para confiar e validar o que a pessoa disse.

“Ao dizer ‘a pessoa não anda muito bem da saúde mental’, interiormente, ela já vai imaginar que não estão a achando confiável, que ela não pode ter responsabilidades ou que, de repente, pode ter um surto ou comportamento imprevisível. Por conta disso é que existe esse preconceito e uma forma de combatê-lo é falando a respeito e com a existência de campanhas informativas”, afirmou.

(Publicado por: André Rigue)

Mais Recentes da CNN