Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Saiba qual é a eficácia das principais vacinas contra a Covid-19

    Oxford, Pfizer, Moderna, Coronavac e outras candidatas à vacina têm taxas de proteção diferentes

    Anna Satie, da CNN em São Paulo

    Vacina contra Covid-19
    Vacina contra Covid-19
    Foto: Dado Ruvic/Reuters (30.out.2020)

    O governo de São Paulo anunciou nesta terça-feira (12) que a eficácia global da Coronavac, vacina contra o novo coronavírus desenvolvida pelos Instituto Butantan e pela chinesa Sinovac, é de 50,38%.

    Na quinta-feira (7) havia sido divulgado que o imunizante atingiu índice de eficácia de 100% para casos graves e moderados e de 78% para os infectados que apresentaram casos leves ou precisaram de atendimento ambulatorial.

    Apesar de ser menor do que a apresentada por outras candidatas, ainda é um bom resultado se comparado a imunizantes que já são conhecidos. A vacina da gripe tem de 40% a 60% de eficácia, a BCG (contra tuberculose), de 70 a 80%, por exemplo.

    A Coronavac foi a última entre as cinco principais vacinas desenvolvidas contra a Covid-19 a apresentar seus dados de eficácia. 

    Leia também:
    Correspondente Médico: Como é calculada a eficácia de vacinas contra Covid-19?
    Entenda por que os testes de eficácia de vacinas podem dar resultados diferentes
    Vacina de Oxford pode ser 80% eficaz com intervalo de 3 meses entre as doses

    Em 14 de dezembro, os desenvolvedores russos da vacina Sputnik V publicaram resultados de seu ensaio clínico da vacina e afirmaram que a injeção foi novamente considerada 91,4% eficaz no fornecimento de proteção contra o novo coronavírus.

    Dias antes, em 8 de dezembro, a Universidade de Oxford publicou o primeiro resultado revisado da última fase dos testes da vacina contra Covid-19 que desenvolve em conjunto com a AstraZeneca. De acordo com a publicação, o imunizante teve eficácia média de 70,4%.

    Confira a eficácia divulgada até o momento das principais vacinas contra Covid-19 em desenvolvimento: 

    • Pfizer/BioNTech

    País: Estados Unidos e Alemanha
    Eficácia: 95%
    Fase de testes: fase 3 concluída
    Pessoas testadas: 43.661 voluntários entre Estados Unidos, Brasil, Argentina, Alemanha, Turquia e África do Sul

    • Moderna

    País: Estados Unidos
    Eficácia: 94,5%
    Fase de testes: fase 3 concluída
    Pessoas testadas: 30.000 voluntários nos Estados Unidos

    • Sputnik V

    País: Rússia
    Eficácia: 91,4%
    Fase de testes: fase 3 em andamento
    Pessoas testadas: 40.000 na Rússia

    • AstraZeneca/Oxford

    País: Reino Unido
    Eficácia: 70,4%
    Fase de testes: fase 3 concluída, com resultado revisado
    Pessoas testadas: 11.636 voluntários participaram de análise de eficácia, no Reino Unido e Brasil

    • Coronavac (Sinovac)

    País: China
    Eficácia: 50,38% (eficácia global); 78% em casos leves; 100% em casos graves e moderados
    Fase de testes: fase 3 concluída
    Pessoas testadas: 13.000 no Brasil, há também voluntários na China, Indonésia, Turquia, Bangladesh, Filipinas, Arábia Saudita e Chile

     (*Com informações de Luana Franzão, da CNN em São Paulo)