Saiba como detectar uma máscara N95/PFF-2 falsa

Guia da CNN ajuda a reconhecer produtos que não estão de acordo com normas do Inmetro, no Brasil, e Niosh, nos EUA, e não protegem contra partículas da Covid-19

Apreensão de mais de 400 máscaras N95 falsas no aeroporto de Washington, nos EUA
Apreensão de mais de 400 máscaras N95 falsas no aeroporto de Washington, nos EUA Foto: Departamento de Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA

Maria Morava e Scottie Andrew, da CNN

Ouvir notícia

Uma recomendação de segurança não mudou desde o início da pandemia: todo mundo deve usar máscara para se proteger. Mas o que acontece quando você não tem certeza se sua máscara é legítima e segura?

Entre o início da pandemia e o fim de 2020, o Departamento de Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA (CBP) apreendeu mais de 14,6 milhões de máscaras falsas que entraram nos EUA, disse o departamento à CNN.

As máscaras N95 – que no Brasil são padronizadas com a sigla PFF-2 – são consideradas o padrão-ouro para proteção. Já as falsificadas podem ameaçar a segurança da população. O não cumprimento dos padrões de segurança significa que elas podem não filtrar as partículas transportadas pelo ar de forma eficaz, de acordo com o CBP.

As máscaras N95 também podem ser confundidas com as KN95, que atendem aos padrões da China, mas ainda não são certificadas para uso nos EUA

Veja a seguir como você pode identificar uma máscara N95 falsa:

O mais importante: aprovação

No Brasil, as máscaras PFF-2 são aprovadas Inmetro, vinculado ao Ministério da Economia, e pelo Ministério do Trabalho e Emprego. Nos EUA, pelo Instituto Nacional de Segurança e Saúde Ocupacional (Niosh), que faz parte do Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) e se concentra na segurança e saúde dos trabalhadores.

As máscaras PFF-2 são chamadas oficialmente de máscara de proteção respiratória ou respirador PFF-2 (S) para riscos biológicos.

Para que uma máscara obtenha um selo de aprovação, ela precisa filtrar pelo menos 95% das partículas transportadas pelo ar.

Para descobrir se uma máscara PFF-2 ou N95 é falsa ou não, os selos do Inmetro (no Brasil) e do Niosh são sua bússola. Mas há alguns testes que você pode fazer antes mesmo de ter uma máscara em mãos.

O que considerar antes de comprar

Ao comprar máscaras online, existem algumas coisas que podem ser investigadas, de acordo com uma orientação do CDC para detectar EPIs falsos.

Se você estiver comprando diretamente em um site:

  • Existem erros de digitação, gramática incorreta ou outros erros no site?
  • Existem falhas no site, como páginas inacabadas ou em branco, texto fictício, links corrompidos e domínios com erros ortográficos?

Se você estiver comprando em um marketplace de terceiros:

  • A propaganda chama o produto de “genuíno” ou “verdadeiro”? Empresas legítimas não precisam dizer aos compradores que seus produtos são reais – pelo menos não no nome do produto.
  • Existem comentários de clientes sobre o produto ou o vendedor? Compradores insatisfeitos com o produto podem revelar que ele é mal feito ou falso.
  • O preço é bom demais para ser verdade?
  • O vendedor está vendendo os mesmos itens há tempos ou apenas embarcando na tendência? Negócios legítimos tendem a permanecer consistentes por vários anos.
  • O vendedor coloca suas informações de contato em imagens? Nesse caso, ele pode estar contornando a política do marketplace contra interações entre compradores e vendedores.

Como verificar se sua máscara é real

Ok, mas e se você já verificou o site e ainda não sabe se ele é honesto? A regra básica é: se não houver nenhum selo significa que o produto não recebeu aprovação.

As máscaras aprovadas pelos institutos nacionais têm uma etiqueta de aprovação na embalagem ou dentro dela (na caixa ou nas instruções do usuário). A máscara também deve ter uma marca de aprovação abreviada.

Nos EUA, o número de aprovação da máscara deve começar com “TC”. A máscara também deve ter um logotipo do órgão aprovador impresso. Esta imagem do CDC pode ajudar a identificar as marcas de sua máscara nos EUA.

Em seguida, você pode verificar o número de aprovação em lista de equipamentos certificados Niosh no caso dos EUA. No Brasil, a Anvisa publicou em maio uma lista de máscaras não aprovadas.

Outros sinais de alerta

  • Quaisquer elementos decorativos, como lantejoulas.
  • Elásticos ou faixas para prender na orelha, e não atrás da cabeça. O elástico na cabeça é crucial para o ajuste perfeito do PFF-2 ou N95.
  • Avisos de que ela é aprovada para crianças. O Niosh e o Inmetro não aprovam essas máscaras para crianças.

Tem uma máscara de verdade? Compartilhe

O CDC e o Niosh têm recursos para ajudar detectar máscaras falsificadas e outros EPIs e equipamentos médicos. Outra ideia é ver fotos das máscaras não aprovadas pelo Niosh.

Aproveite para ler (em inglês) sobre como se proteger contra a compra de produtos falsificados.

Tem uma máscara falsa? Denuncie

Máscaras falsas não são os únicos produtos falsificados à venda, nem o único golpe para lucrar em cima da pandemia de Covid-19.

Organizações criminosas também tentam vender produtos farmacêuticos falsificados, outros EPIs e dispositivos médicos para “consumidores desavisados”, como disse o diretor executivo de políticas e programas comerciais da CBP, John Leonard, à CNN.

A pandemia tem sido uma época fértil para a proliferação de outros golpes de todos os tipos – mais recentemente em relação às vacinas.

(Texto traduzido; leia o original em inglês)

Mais Recentes da CNN