Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Saúde recomenda quarta dose contra a Covid-19 para imunossuprimidos de 12 a 17 anos

    Pasta já realizava indicação do reforço para imunossuprimidos maiores de 18 anos desde dezembro

    Vacinação de reforço para o público deve ser feita obrigatoriamente com o imunizante da Pfizer
    Vacinação de reforço para o público deve ser feita obrigatoriamente com o imunizante da Pfizer José Cruz/Agência Brasil

    Douglas Portoda CNN*

    em São Paulo

    O Ministério da Saúde recomendou, nesta quarta-feira (9), a quarta dose da vacina contra a Covid-19 para imunossuprimidos entre 12 a 17 anos. A imunização deve ser feita obrigatoriamente com o imunizante da Pfizer.

    Estão incluídos no grupo pessoas com imunodeficiência primária grave, em tratamento quimioterápico, que fizeram algum tipo de transplante de órgãos ou de células tronco, que vivem com HIV/AIDS ou realizam hemodiálise.

    Deve existir um intervalo de oito semanas entre a primeira, a segunda e a dose adicional. Após a conclusão do esquema inicial, deve existir um espaço de tempo de quatro meses para a nova dose de reforço.

    “A decisão foi baseada em estudos científicos que mostram uma redução na efetividade dos imunizantes a partir de quatro meses após a conclusão do ciclo vacinal e na necessidade de reforçar a imunidade em grupos que são mais vulneráveis aos casos graves da Covid-19. A vacina de RNA mensageiro, da Pfizer, produz uma resposta imune maior quando utilizada como dose de reforço”, afirma o Ministério da Saúde em nota.

    A recomendação da quarta dose para pessoas maiores de 18 anos já era indicada pela pasta desde dezembro. Entretanto, para o público existe a alternativa de aplicação da vacina de vetor viral, da Janssen ou AstraZeneca.

    São Paulo vai adotar quarta dose da vacina “independentemente de recomendação” da Saúde

    O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou em entrevista à rádio Eldorado, nesta quarta-feira, que o estado irá adotar a quarta dose da vacina contra a Covid-19 “independentemente de haver, ou não, recomendação do Ministério da Saúde”. A informação foi confirmada pela CNN.

    “Avançando na segunda dose, nós poderemos avançar na dose de reforço, a quarta dose, seguindo uma ordem de faixa etária”, disse o governador. “Sim, vamos adotar em São Paulo a quarta dose, independentemente de haver ou não recomendação do Ministério da Saúde”, declarou Doria.

    (*Com informações de Lucas Rocha, Carla Bridi, Bruna Macedo e Fábio Munhoz, da CNN)