Saúde vai apurar se vacina de Oxford pode ter causado trombose em grávida

Caso é raríssimo e é investigado pelo Ministério da Saúde e Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal. Estado também irá apurar

Leandro Resendeda CNN

Ouvir notícia

 

O Ministério da Saúde e a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro investigam o caso de uma mulher grávida que tomou a vacina da Covid-19 Oxford/AstraZeneca e desenvolveu quadro de trombose. A investigação é sobre o histórico de saúde da paciente e se é possível estabelecer uma relação entre a aplicação da vacina e o efeito adverso. 

A formação de coágulos como efeito colateral da vacina de Oxford foi incluída na bula do imunizante, mas é um evento adverso considerado muito raro, sobretudo no comparativo com a incidência normal da doença, ou seja, o número de casos de trombose que normalmente acontecem, independentemente da imunização. 

À CNN, o secretário estadual de Saúde, Alexandre Chieppe, afirmou que o caso será investigado pelo município, estado, governo federal e pelos produtores da vacina. Ainda não há, segundo ele, maiores detalhes sobre o histórico da grávida. 

No mês passado, a médica Ana Clara Kneese Nascimento, coordenadora do Comitê de Hemostasia e Trombose da Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular, afirmou à CNN que os riscos de trombose são “muito maiores para quem fuma, se infecta com a Covid-19 ou mulheres que tomam anticoncepcional”

A médica informou ainda que “os casos estão sendo acompanhados e os números mostram que os eventos são muito raros”. 

Em nota, a AstraZeneca informou as mulheres que estavam grávidas foram excluídas dos estudos clínicos. Veja nota abaixo.

Posicionamento para imprensa

Referente a suspensão do uso da vacina AstraZeneca/Fiocruz por parte da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), a AstraZeneca esclarece que as mulheres que estavam grávidas ou amamentando foram excluídas dos estudos clínicos. Esta é uma precaução usual em ensaios clínicos.

Os estudos em animais não indicam efeitos prejudiciais diretos ou indiretos no que diz respeito à gravidez ou ao desenvolvimento fetal.

Profissional de saúde prepara dose da vacina da AstraZeneca contra Covid-19
Profissional de saúde prepara dose da vacina da AstraZeneca contra Covid-19
Foto: Kai Pfaffenbach/Reuters

Mais Recentes da CNN