SP diminuirá prazo entre doses da Coronavac de 21 para 15 dias, diz secretário

Secretária Municipal de Saúde também determinou uso da Coronavac para doses de reforço em sepultadores, fiscais das subprefeituras e membros da Guarda Civil Metropolitana

Vacina Coronavac contra a Covid-19 produzida pelo Instituto Butantan
Vacina Coronavac contra a Covid-19 produzida pelo Instituto Butantan Patrícia Coelho/SMS/PMPA

Evelyne Lorenzettida CNN

São Paulo

Ouvir notícia

O intervalo entre a primeira e segunda dose da vacina contra Covid-19 Coronavac vai passar de 21 para 15 dias na capital paulista, anunciou nesta quinta-feira (21) o secretário municipal de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido. Não foi informado quando a medida entra em vigor.

Ainda na cidade de São Paulo, ao menos 46 mil doses da Coronavac serão disponibilizadas para doses de reforço em sepultadores, fiscais das subprefeituras e membros da Guarda Civil Metropolitana (GCM) de São Paulo, segundo a secretária municipal de saúde.

As doses excedentes serão aplicadas  em 300 sepultadores, 500 fiscais das subprefeituras e em cerca de 5 mil servidores da GCM, informou Aparecido.

Ontem, o secretário confirmou à CNN que a Coronavac  será utilizada apenas para aplicação da segunda dose na cidade de São Paulo e a medida começou a vigorar nesta quinta-feira.

À CNN, Edson Aparecido explicou que a mudança de orientação ocorre devido à falta de doses suficientes para a manutenção da aplicação de primeiras e segundas doses.

Nesta semana, a secretaria também determinou a redução no intervalo entre as doses da Pfizer, que agora passa a ser de 21 dias.

No esquema anterior, havia uma espera de 56 dias entre a primeira e a segunda aplicação.

Com a chegada de 357.354 mil doses de imunizantes nesta semana, a capital paulista definiu o intervalo mais curto entre as doses.

Mais Recentes da CNN