Vacina experimental contra HIV é aplicada em primeiros pacientes

Imunizante da Moderna utiliza tecnologia de RNA mensageiro

EUA concedem aprovação completa para vacina da Moderna contra Covid
EUA concedem aprovação completa para vacina da Moderna contra Covid 27/11/2021REUTERS/Dado Ruvic/Foto ilustrativa

Anokhi Saklechada CNN

Ouvir notícia

A Moderna anunciou na última semana que os primeiros participantes de um ensaio clínico de Fase 1 de uma vacina experimental contra HIV foram vacinados.

O teste, intitulado IAVI G002, está sendo conduzido em parceria com a International AIDS Vaccine Initiative (IAVI), uma organização de pesquisa científica sem fins lucrativos.

A parceria está testando uma vacina que fornece antígenos específicos do HIV ao corpo com o objetivo de induzir uma resposta imune. Esses antígenos foram inicialmente desenvolvidos por pesquisadores da IAVI e da Scripps Research — organização de pesquisa médica sem fins lucrativos —, liderados pelo Dr. William Schief.

Em um teste de “prova de conceito” no ano passado, a equipe de pesquisadores descobriu que os antígenos do HIV produziram a resposta imune desejada em 97% dos participantes.

O estudo atual se baseia no anterior, testando a versão primária da vacina e também uma versão de reforço, empregando a tecnologia de mRNA (ou RNA mensageiro) da Moderna, que foi anteriormente usada para criar uma vacina contra o COVID-19 bem-sucedida.

“Estamos extremamente empolgados em avançar nessa nova direção no design de vacinas contra o HIV com a plataforma de mRNA da Moderna. A busca por uma vacina contra o HIV tem sido longa e desafiadora, e ter novas ferramentas em termos de imunógenos e plataformas pode ser a chave para progredir rapidamente em direção a uma vacina eficaz e urgentemente necessária”, disse Mark Feinberg, presidente e CEO da IAVI, em um boletim de imprensa da Moderna.

O novo teste, financiado em parte pela Fundação Bill e Melinda Gates, acompanhará 56 participantes adultos HIV-negativos, com o objetivo de estudar tanto a segurança quanto a eficácia da vacina. Dentre os voluntários, 48 receberão pelo menos uma dose da vacina primária. Desses, 32 receberão também o reforço. Os oito restantes receberão apenas a vacina de reforço.

O teste inclui participantes de quatro locais: Faculdade de Medicina da Universidade George Washington, Centro de Vacinas Hope Clinic of Emory, Centro de Pesquisa do Câncer Fred Hutchinson e Centro de Ciências da Saúde da Universidade do Texas em San Antonio.

Mais Recentes da CNN