'Enche de esperança', diz pesquisador sobre molécula encontrada em Vênus


Da CNN, em São Paulo
14 de setembro de 2020 às 18:05 | Atualizado 15 de setembro de 2020 às 17:16

Uma pesquisa feita em colaboração internacional por cientistas dos Estados Unidos, Reino Unido e Japão encontrou indícios de que pode existir vida em Vênus. A descoberta de uma molécula que pode indicar atividade vital no planeta pegou cientistas de surpresa.

Pesquisador do Instituto Blue Marble, da Nasa, o brasileiro Ivan Lima observa que aquela molécula não deveria estar lá.

“Na terra, o gás surge por ação humano ou de micro organismo. Em Vênus, essa molécula não deveria estar ali. Atmosfera do planeta é cheia de ácido sulfúrico, é um ambiente muito inóspito,” disse Lima.

“Vênus não tem camada de ozônio, então há muita radiação ultravioleta. Tudo isso contribui para a degradação da molécula.”

Os pesquisadores encontraram gás fosfina na atmosfera do segundo planeta do sistema solar. O gás incolor e altamente tóxico é considerado uma bioassinatura, ou seja, um forte indicador de presença de vida.

Leia também

Descoberta extraordinária, diz cientista sobre possíveis sinais de vida em Vênus

Colonizar Marte pode ser perigoso e extremamente caro; Elon Musk quer fazê-lo

Elon Musk continua plano de dominar o espaço e SpaceX lança 60 satélites

Ivan Lima

Ivan Lima, pesquisador do Instituto Blue Marble, da Nasa

Foto: CNN (14.set.2020)

Lima explica que a fosfina já foi encontrada em planetas como Júpiter e Saturno, mas que a descoberta em Vênus chama atenção pelas condições do local e da proximidade com a terra.

Apesar da descoberta, Lima ressalta que isso ainda não é “evidência de vida em Vênus”, mas abre espaço para investigações mais profundas.

“Uma descoberta com essa já é transformadora pois detectamos isso em nosso vizinho cósmico, uma prova que o universo é rico. A descoberta nos enche de esperança para procurar por vida em outros planetas.”