WhatsApp vai bloquear usuário que não aceitar nova política de privacidade

A partir de 15 de maio, quem não aderir aos termos poderá receber chamadas e notificações por um curto período, mas não conseguirá enviar mensagens

Washington Luiz, colaboração para a CNN Brasil
22 de fevereiro de 2021 às 12:48
Golpes no WhatsApp
Golpes no WhatsApp: verificação em duas etapas pode prevenir que criminosos roubem dados de usuários
Foto: CNN Brasil (3.fev.2021)

Usuários que não aceitarem a nova política de privacidade do WhatsApp não poderão mais enviar mensagens pelo aplicativo. De acordo com a plataforma, a partir de 15 de maio, quem não aderir aos termos atualizados poderá receber chamadas e notificações por um curto período, que deve durar semanas, mas não conseguirá ler nem enviar textos, áudios, vídeos ou imagens por meio da ferramenta. 

Essas pessoas também serão consideradas inativas e terão a conta deletada em até 120 dias.

Inicialmente, a nova política de privacidade entraria em vigor no dia 8 de fevereiro, mas o temor de usuários e a repercussão na imprensa fez a empresa adiar a implementação para 15 de maio.

 

Agora, o WhatsApp tenta esclarecer as mudanças e evitar uma debandada ainda maior para aplicativos concorrentes, como o Telegram e o Signal. 

A empresa tem reforçado que o aplicativo continuará sem acesso a mensagens pessoais dos usuários, mas destaca que conversas entre pessoas físicas e empresas serão acessadas pela plataforma gerenciada pelo Facebook.

"Nosso compromisso com sua privacidade continua exatamente o mesmo. Suas conversas pessoais são protegidas com a criptografia de ponta a ponta. O WhatsApp não pode ler nem ouvi-las”, garantiu o WhatsApp, por meio do recurso status, aba inserida no app semelhante aos Stories do Instagram. 

Nas próximas semanas, o aplicativo exibirá um aviso anunciando que oferecerá mais tempo para os usuários lerem a atualização. Eventualmente, também serão enviados lembretes para que todos possam ler e aceitar as mudanças para continuar usando o WhatsApp.