Lançamento bem-sucedido coloca satélite brasileiro em órbita

NanoSatC-Br2 foi lançado a bordo do foguete Soyuz-2 com o objetivo de monitorar as características físicas e geológicas do Brasil

Weslley Galzo, da CNN, em São Paulo
23 de março de 2021 às 11:17 | Atualizado 23 de março de 2021 às 11:20
Lançamento do NanoSatC-Br2  a bordo do foguete russo Soyuz-2
Lançamento do NanoSatC-Br2 a bordo do foguete russo Soyuz-2
Foto: GK Launch Services/Roscosmos

O nanossatélite brasileiro NanoSatC-Br2 teve um lançamento bem-sucedido na madrugada desta segunda-feira (22). A decolagem ocorreu no Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão, e o equipamento brasileiro, de 1,72 quilogramas, estava a bordo do foguete russo Soyuz-2. Neste momento, o satélite brasileiro está em orbital nominal.

O NanoSatC-Br2 faz parte de uma iniciativa brasileira de desenvolvimento de expedições espaciais não tripuladas com objetivo científico, tecnológico e educacional. Este é o segundo nanossatélite científico desenvolvido por universidades brasileiras nas atividades do Programa NanoSatC-Br, que se dedica à integração e formação de professores universitários, alunos de graduação e pós-graduação, pesquisadores e tecnologistas em projetos de pesquisa espacial e áreas correlatas. 

O dispositivo está em órbita baixa terrestre (LEO) para fazer o monitoramento em tempo real dos distúrbios identificados na magnetosfera terrestre, bem como identificar a queda de partículas energéticas no Brasil e a intensidade do campo geomagnético.

Apesar do sucesso, o lançamento precisou ser adiado por questões técnicas de segurança. Inicialmente a decolagem estava prevista para ocorrer no sábado (20), mas os cientistas identificaram problemas no módulo “Fregat”, um dispositivo do foguete russo Soyuz  responsável pela inserção do satélite em órbita.