Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    #CNNPop

    Cientistas resolvem mistério do jardim de polvos na zona da meia-noite do oceano

    Moluscos são atraídos pelas águas termais que brotam das fendas e deixam local mais quente, fazendo com que ovos eclodam em menos de 2 anos, contra quatro anos e meio em temperaturas normais

    Os pesquisadores apelidaram a espécie Muusoctopus robustus de polvo pérola por causa de sua aparência enquanto protegem seus ovos de cabeça para baixo
    Os pesquisadores apelidaram a espécie Muusoctopus robustus de polvo pérola por causa de sua aparência enquanto protegem seus ovos de cabeça para baixo MBARI

    Katie Huntda CNN

    Os polvos do fundo do mar são criaturas tipicamente solitárias que habitam águas geladas em um dos ambientes mais desafiadores da Terra.

    A descoberta, em 2018, de milhares de cefalópodes de oito patas cerca de 3,2 quilômetros abaixo da superfície do oceano, confundiu e fascinou os cientistas marinhos.

    O consórcio de polvos agrupou-se em torno de uma fonte hidrotermal – uma abertura no fundo do mar por onde saem fluidos quentes e ricos em produtos químicos – a cerca de 3.200 metros de profundidade, onde é conhecida como zona da meia-noite, um lugar de escuridão perpétua.

    O jardim de polvos – encontrado em uma pequena colina perto da base de Davidson Mount, um vulcão subaquático extinto a 128,7 quilômetros a sudoeste de Monterey, Califórnia – estava cheio de uma espécie chamada Muusoctopus robustus, que foi apelidada de polvo pérola pela equipe de pesquisa por causa da aparência deles enquanto protegem seus ovos de cabeça para baixo.

    A descoberta é a maior agregação conhecida de polvos no planeta – os pesquisadores contaram mais de 6 mil polvos em apenas um segmento do local.

    “Achamos que pode haver 20 mil polvos lá. E a questão é: por que eles estão lá? E por que eles estão agregando? Parece que as águas quentes que emanam destas nascentes são a chave para a razão pela qual estes animais se reproduzem ali”, disse Jim Barry, cientista sênior do Instituto de Pesquisa do Aquário da Baía de Monterey.

    Os pesquisadores acreditam que os polvos migram para as fontes termais do fundo do mar em grande número para acasalar e nidificar, de acordo com um novo estudo publicado quarta-feira (23) na revista “Science Advances”.

    Depois de botar os ovos, as futuras mães polvos mantêm os ovos limpos e os protegem dos predadores. As temperaturas mais altas aceleram o desenvolvimento embrionário das criaturas.

    Tecnologia subaquática de última geração permitiu aos pesquisadores compreender o jardim do polvo / MBARI

    “Períodos de incubação muito longos aumentam a probabilidade de os ovos da mãe não sobreviverem. Ao nidificar em fontes hidrotermais, as mães polvos dão uma vantagem aos seus filhotes”, explicou Barry, que foi o principal autor do estudo.

    A temperatura ambiente da água a 3.200 metros é de 1,6 graus Celsius. No entanto, a temperatura da água nas rachaduras e fendas do jardim de polvo atinge cerca de 11 graus Celsius.

    Tecnologia subaquática

    Os pesquisadores do Instituto de Pesquisa do Aquário da Baía de Monterey e seus colegas de outras instituições usaram tecnologia subaquática de última geração para compreender o jardim de polvo.

    O ROV Don Ricketts do instituto realizou mergulhos de acompanhamento de 14 dias no local entre 2019 e 2022, gravando vídeos em alta definição dos polvos e mapeando o jardim de polvos em uma resolução de escala de metro.

    O submersível operado remotamente também deixou uma câmera de lapso de tempo e sensores para medir a temperatura e os níveis de oxigênio para observações de longo prazo do comportamento dos polvos. A câmera gravou uma imagem a cada 20 minutos, tirando cerca de 12.200 imagens de março a agosto de 2022.

    Os investigadores descobriram que os ovos dos polvos eclodiram em menos de dois anos – muito mais rápido do que a equipe esperava / MBARI

    Ninhadas mais rápidas no jardim de polvos

    Com essas informações, os cientistas descobriram por que os polvos são atraídos para o local. Marcas e outras características distintivas permitiram aos cientistas monitorar polvos individuais e o desenvolvimento de suas ninhadas.

    A presença de polvos machos e fêmeas adultos, ovos em desenvolvimento e filhotes de polvo indicou que o local é utilizado exclusivamente como criadouro e berçário. A equipe não observou nenhum indivíduo de tamanho intermediário ou qualquer evidência de alimentação.

    “Vemos filhotes nadando para longe. Nunca vimos nenhum animal pequeno que sugira que eles vivem aqui mesmo. Então eles nadam para algum outro lugar e começam suas vidas”, disse Barry.

    O estudo descobriu que os ovos eclodiram em menos de dois anos – muito mais rapidamente do que a equipe esperava. Uma espécie de polvo de águas profundas choca os seus ovos durante quatro anos e meio. Longe das fontes hidrotermais, nas temperaturas quase congelantes do fundo do mar, acredita-se que os períodos de incubação dos ovos durem vários anos.

    “Embora seja arriscado chocar nesta água quente – você pode estar cozinhando seus ovos, pode ter anormalidades – o período de ninhada mais curto é onde entra a vantagem e isso parece funcionar perfeitamente para eles porque vemos o que parece ser bastante altas as taxas de eclosão”, disse ele.

    Os cientistas acreditam que o local na costa de Monterey, Califórnia, é usado exclusivamente como criadouro e berçário / MBARI

    Desvendando mistérios do ciclo de vida do polvo

    Os pesquisadores acreditam que o calor das fontes termais aumentou o metabolismo dos polvos fêmeas e dos seus ovos, reduzindo o tempo necessário para a incubação e tornando menos provável que os ovos sejam comidos por predadores. No entanto, não está claro se esse calor é absolutamente necessário para que esta espécie se reproduza e nidifique ou se é algo que ela simplesmente gosta.

    Os pesquisadores continuarão a estudar o local em Davidson Mount e querem procurar locais com geologia semelhante que possam abrigar outros jardins de polvos, embora a exploração em alto mar seja muito cara, disse Barry.

    Os polvos são pais famosos por se sacrificarem – depois de botarem uma ninhada de ovos, eles param de comer e definham, normalmente morrendo no momento em que os ovos eclodem. Polvos mortos e filhotes vulneráveis proporcionam um banquete para invertebrados como anêmonas do mar e estrelas do mar que vivem lado a lado com os polvos que chocam seus ovos.

    Os pesquisadores documentaram um total de quatro jardins de polvos em águas profundas até o momento – dois na costa da Califórnia Central, no Davidson Mount, e dois na costa da Costa Rica.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original