Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Estudo confirma teoria de Stephen Hawking sobre buracos negros

    Com base em evento cósmico, pesquisadores observaram que áreas dos buracos negros não podem diminuir ao longo do tempo

    Colisão de buracos negros produz ondas gravitacionais
    Colisão de buracos negros produz ondas gravitacionais Foto: Getty Images (Mark Garlick/Science Photo Library)

    Lucas Rocha, da CNN, em São Paulo

    A segunda lei da mecânica do buraco negro, também conhecida como teorema da área de Stephen Hawking, afirma que a área total do horizonte de buracos negros não pode diminuir ao longo do tempo. Um estudo publicado no periódico científico Physical Review Letters aponta que Hawking estava certo.

    A confirmação observacional do teorema de Hawking foi realizada a partir de dados do evento cósmico GW150914, a primeira detecção de ondas gravitacionais pelos humanos, em 2015, a partir da colisão de dois buracos negros.

    Os pesquisadores analisaram as ondas gravitacionais considerando dados de dois momentos: antes e depois da fusão entre os buracos negros. A análise revelou que, após a fusão, as ondas passaram a formar uma única onda, de um buraco negro com área ainda maior em relação à dos dois buracos negros originais.

    “Confirmamos que os dados GW150914 concordam com o teorema da área de Hawking com alta probabilidade de 95%”, diz o artigo. Segundo o estudo, a pesquisa também abre o caminho para novas investigações sobre as teorias de Albert Einstein com futuras detecções de ondas gravitacionais.