Expansão de tradicional restaurante do RJ, Cria leva galeto para dentro de sanduíches

Nova casa abrirá no Leblon na próxima quinta (23) e será comandada por terceira geração da família dona do Rei dos Galetos, há 55 anos no centro da cidade

Expansão do restaurante Rei dos Galetos, Cria tem à disposição no cardápio diferentes sanduíches de galeto e acompanhamentos
Expansão do restaurante Rei dos Galetos, Cria tem à disposição no cardápio diferentes sanduíches de galeto e acompanhamentos Tomas Rangel

CNN Viagem & Gastronomiado Viagem & Gastronomia

O Rio de Janeiro ganhará um novo restaurante no bairro do Leblon na próxima quinta-feira (23). Comandado pelas primas Daniela Pereira e Beatriz Cunha, da terceira geração da família dona do tradicional Rei dos Galetos, no centro da cidade, a nova casa levará o galeto, ingrediente que mudou a história de seus avôs e pais, para dentro de sanduíches.

Descrito como o primeiro estabelecimento especialista em sanduíches deste tipo de carne do Brasil, o Cria – nome dado em referência à gíria usada para explicar a origem de algo ou alguém – dará início a expansão da marca familiar.

A ideia é que pelo menos mais cinco unidades sejam abertas nos próximos anos. O investimento inicial foi de cerca de R$ 1 milhão e a meta é que 600 sanduíches sejam vendidos por dia.

 

Cria do Rei: A história que começou há 55 anos

Os anos eram de 1945 e 1950 quando os portugueses Amadeu e Celestino desembarcaram no Rio de Janeiro para iniciar suas vidas no Brasil. Tornaram-se melhores amigos naquela que seria a cidade em que construiriam suas famílias e que chamariam de casa.

À época, era muito comum que os imigrantes que chegassem ao Rio montassem seus próprios negócios em diversos segmentos para conseguirem se manter na cidade.

Foi então que Celestino teve a ideia de abrir um restaurante. Mas o que faria para se diferenciar de tantos outros que estavam abrindo na época?

Pensou muito e chegou ao produto que mudaria a história de sua família: o galeto. Ainda pouco explorado na região naquela década, pensou que seria algo diferente, rápido e acessível financeiramente. Chegou à receita do tempero que até hoje é guardado a sete chaves – feito à base de ervas e especiarias.

Em 1967 a primeira unidade do Rei dos Galetos foi inaugurada no centro do Rio de Janeiro, precisamente na rua Rodrigo Silva. O que ele não imaginaria era que a empresa perduraria por mais de cinco décadas e que seria elo de ligação com seu grande amigo para sempre.

De geração para geração e uma só família

Vendo grande potencial no negócio, Amadeu resolveu entrar como sócio na abertura da segunda unidade, também no centro da cidade. A sociedade, entretanto, acabou tomando uma proporção ainda maior quando seus filhos casaram entre si e suas famílias viraram uma só.

Para entender melhor: cada um teve um casal de filhos. Amadeu era pai de Maria Cecília e Luiz Antônio, enquanto Celestino teve Paulo e Maria de Lourdes. Maria Cecília e Paulo cresceram juntos e se casaram, tendo Daniela e mais duas filhas. Luiz Antônio, por sua vez, teve um filho e trigêmeas, sendo uma delas Beatriz, que comandará o Cria com a Daniela.

“É um pouco confuso de entender, mas o resultado é que os grandes amigos e sócios viraram da mesma família. Seus quatro filhos sempre foram muito amigos e tiveram interesse em continuar com a história do Rei dos Galetos que perdura há mais de 55 anos. Fico muito orgulhosa porque eles são um grande exemplo. Sempre se deram muito bem e este é o nosso grande desafio com o Cria. Nós, da terceira geração, queremos continuar com esse grande negócio e história da melhor forma possível, com muito respeito e amizade”, ressalta Daniela Pereira, filha de Paulo e neta dos dois empreendedores.

As primas Daniela Pereira e Beatriz Cunha, da terceira geração da família, estarão à frente de nova casa no Leblon / Tomas Rangel

O início do Cria

Arquiteta de formação, Daniela se interessou pelo negócio há oito anos. Brinca que sente que “é  como se estivesse no DNA da família”. Começou observando todos os processos do restaurante e deu início, em 2016, ao processo de atualização da marca. Gosta de ressaltar que modernização nada tem a ver com “Gourmetização” – e sim aconteceu para deixar o ambiente mais confortável e agradável – a essência sempre foi e sempre será a mesma.

Reformaram as duas unidades do centro e ganharam ainda mais interesse do público. Fiéis, muitos clientes almoçam por lá cinco dias na semana – e mais de 80 mil galetos são vendidos por ano.

Em 2017 lançaram um produto que fez muito sucesso principalmente durante a pandemia – e que deu origem ao Cria: o sanduba do rei, um sanduíche de galeto com um molho especial. Foram inúmeras unidades vendidas.

As primas Daniela e Beatriz deram então início ao projeto de expansão da marca. Junto com toda a família, fizeram uma pesquisa de mercado e chegaram aos produtos que iriam apostar. A ideia, dada a quatro mãos, é motivo de orgulho.

“O público estava gostando muito já dos nossos restaurantes e quisemos expandir a marca. Queríamos trazer algo desafiador e novo e não apenas abrir uma franquia. Depois de um ano de planejamento nasceu o Cria, a primeira casa especializada em sanduíches de galeto do Brasil. A ideia é trazer o galeto ainda mais para o dia a dia das pessoas”, explica Beatriz.

“Meu avô trabalhou 10 anos sem férias para ter seu próprio negócio. Queremos continuar com o resultado de tanta batalha e vimos uma oportunidade em nossas mãos”, completa Daniela.

A abertura da casa e cardápio

O espaço abrirá nesta quinta-feira, na rua Ataulfo de Paiva, no Leblon. Com a proposta de ser uma comida rápida para qualquer hora do dia, haverá poucos lugares dentro do estabelecimento, que tem 40m2. Os clientes poderão fazer seus pedidos em totens e retirá-los no balcão.

Foram desenvolvidos oito tipos de sanduíches no pão baguete. O clássico Sanduba do Rei, é claro, está no cardápio. Ele leva galeto fatiado com o Molho do Rei, feito à base de aioli de mostarda dijon e chimichurri (R$ 34,50).

Patropi, com galeto fatiado, abacaxi caramelizado, molho barbecue e alface americana (R$ 39,50); Caprese, com tomate assado, ervas, queijo minas padrão, aioli de pesto de manjericão e rúcula (R$ 48,50); Milaneto, com galeto à milanesa, queijo minas padrão, rúcula e Molho do Rei (R$ 57,90); Namastê, que leva galeto fatiado, molho curry e salada (R$ 43); Oriente-se, com molho oriental e broto de feijão (R$ 43); Honey Baby à base de compota de bacon e cebola, molho mostarda com mel e alface americana (R$ 38,50) e Cheddar, com molho cremoso do queijo, barbecue e farofa de bacon (R$ 38,50) são as outras opções.

Oito tipos de sanduíches com galetos desossados no pão baguete podem ser encontrados no cardápio / Tomas Rangel

“O preparo é feito em nossa casa. Tem o tempo certo de tempero e um gosto especial. No Rei dos Galetos, ele é feito na brasa. Para o Cria, tivemos um desafio muito grande. Depois de muita pesquisa e testes em vários fornos, chegamos a um padrão muito legal, que vai manter a suculência e identidade do nosso galeto.”, explica.

“Gosto de ressaltar que não temos nada de ‘gourmet’. Vamos vender um sanduíche de galeto muito saboroso, mas que continua sendo um sanduíche”, completa.

Além de sanduíches, o Croqueleto – croquete de galeto – também ganha destaque no cardápio e pode ser pedido como acompanhamento (R$ 9,50) junto com batata chips de páprica ou fritas (R$ 9,80).

Além disso, compõem o cardápio Hot dogs no pão brioche (a partir de R$ 35,90); Wraps no pão de folha (R$ 34,50); Saladas de galeto (a partir de R$ 44,50) e sobremesas como pudim (R$ 15) e mousse de chocolate (R$ 18,50).

Além de sanduíches de galeto, hot dogs, wraps, saladas e acompanhamentos poderão ser encontrados no cardápio / Tomas Rangel

Com 10 funcionários, que passaram por um processo de imersão visitando todo o processo de produção e serviço do Rei dos Galetos e tendo contato com funcionários que trabalham há décadas no negócio, a família tem como meta vender 600 sanduíches por dia e expandir, em breve, ainda mais a marca.

Cria: Rua Ataulfo de Paiva, 1228 – Leblon, Rio de Janeiro/Telefone: (21)3559-1229/ Horário de funcionamento: às terças, quartas e domingos, das 11h30 às 22; de quinta a sábado, das 11h30 às 22h30.