Documentário “Três Marias” retrata as matriarcas da culinária mineira

Documentário homenageia três grandes figuras femininas da culinária mineira e joga luz em temas ainda em alta: o caminho para que mulheres liderem suas próprias cozinhas e a preservação das tradições alimentares

Tributo às três Marias da culinária mineira vai além do paladar e se conecta com a riqueza da herança gastronômica
Tributo às três Marias da culinária mineira vai além do paladar e se conecta com a riqueza da herança gastronômica Reprodução site Xapuri

Tina Binido Viagem & Gastronomia

A culinária mineira é admirada e reconhecida mundialmente. Não à toa, quer coisa melhor que pão de queijo saindo do forno, costelinha com ora-pro-nobis, angu, tutu de feijão, couve refogada e canjiquinha no fogão a lenha?

Uma comida cheia de afetividade e que representa a rica história do estado tem três musas que deixaram uma marca no desenvolvimento e no reconhecimento da rica cultura alimentar de Minas Gerais.

O documentário Três Marias, com produção de Lorena Martins, é uma homenagem às três matriarcas da culinária mineira: Maria Stella Libânio Christo (1918-2011), Dona Lucinha (1932-2019) e Nelsa Trombino (1938-2023).

Estas notáveis mulheres que já se foram e seguem como estrelas no céu – como a constelação Três Marias – continuam a emocionar e inspirar. As “três Marias”, que dão voz a tantas outras mulheres e outros nomes, não apenas romperam as barreiras que limitavam as cozinheiras domésticas, mas também se destacaram como protagonistas na cena gastronômica.

As estrelas Maria, Lúcia e Nelsa desbravaram o caminho para que inúmeras outras mulheres sonhassem em liderar suas próprias cozinhas e aprofundassem suas pesquisas sobre a cultura culinária de Minas Gerais.

O documentário reverencia histórias que estão intrinsecamente ligadas também ao redor do calor do fogão a lenha, um das estruturas da cozinha mais tradicionais e veneradas, com uma cuidadosa seleção de registros audiovisuais do acervo dessas notáveis mulheres, enriquecidos com depoimentos de seus familiares.

Estas narrativas emocionantes retratam não apenas o papel fundamental das homenageadas, mas também suas inestimáveis contribuições na luta pela preservação das tradições alimentares de Minas Gerais.

Confira a seguir o documentário Três Marias, disponível no canal do YouTube do Portal Belo Horizonte:

Conheça as homenageadas:

Maria Stella Libânio Christo (1917-2011)
Caminhou por Minas Gerais, por seus ranchos e fazendas, colecionando receitas e histórias de famílias que se transformaram na obra “Fogão de Lenha”, de 1977. Sua jornada começou por sua paixão pela culinária, desmistificando a ideia de que a comida mineira era pesada e ordinária. Maria Stella cozinhou para figuras ilustres, como Fidel Castro (1926 – 2016), Chico Buarque e o presidente Lula.

Dona Nelsa (1938-2023)
Nascida em Cubatão, filha de imigrantes italianos, Nelsa Trombino se fez mineira de alma, tornando-se uma das maiores defensoras da gastronomia das Gerais. Fundou o restaurante Xapuri, na Pampulha, em Belo Horizonte, onde resguardou as tradições culinárias sem nunca abrir mão do tacho de cobre e da colher de pau. Recebeu diversos prêmios e viajou para vários países promovendo a identidade mineira pelo mundo.

Dona Lucinha (1932-2019)
Maria Lúcia Clementino Nunes, que entrou para história como Dona Lucinha, era mestra em técnicas culinárias ancestrais, dominando o fogão de barranco, o forno a lenha e truques caseiros para aprimorar os sabores dos pratos mineiros. Além de fundar uma rede de restaurantes com seu nome, destacou-se como pesquisadora das raízes coloniais da culinária de Minas. Deixou como herança para seus 11 filhos o amor pela terra e sua comida.

O documentário foi produzido para a abertura da 1ª Bienal da Gastronomia de Belo Horizonte.