Confira o sobe e desce das criptomoedas em novembro

Após se tornar o ativo digital com melhor variação em outubro, a Shiba Inu protagonizou o posto de pior rentabilidade no último mês

Com a distribuição de cartões que convertem criptomoedas e a parceria com a Conmebol, a cripto CRO ficou entre os destaques do mês
Com a distribuição de cartões que convertem criptomoedas e a parceria com a Conmebol, a cripto CRO ficou entre os destaques do mês Art Rachem/Unsplash

Artur Nicocelido CNN Brasil Business

São Paulo

Ouvir notícia

A criptomoeda The Sandbox foi o ativo digital que mais valorizou no mês de novembro, segundo o levantamento da QR Asset Management.

O The Sandbox, lançado em 2011, é uma criptomoeda usada pelo mundo virtual de mesmo nome, baseado em blockchain, que permite jogadores criarem, construírem, comprarem e venderem NFTs (Non-Fungible Token, ou token não fungíveis), ou espaços digitais chamados Land.

Segundo a página oficial da cripto, a plataforma Sandbox busca misturar a tecnologia blockchain com o multiverso, remunerando os usuários conforme jogam. Toda negociação feita no jogo é via a cripto.

Famosos como o cantor Snopp Dogg e o bilionário e CEO da Tesla, Elon Musk, já compraram espaços no The Sandbox.

Em segundo lugar ficou a cripto CRO, do site Crypto.com. A companhia ganhou destaque nos últimos meses por lançar sete cartões em parceria com a bandeira Visa, que convertem criptomoedas em reais, e fechou um acordo com a Conmebol (Copa Libertadores da América) de 2023 e 2026 para desenvolver NFTs relacionados à competição.

“A CRO também está colhendo os frutos do lançamento de sua própria blockchain, a Cronos. Além de pesadas ações de marketing que estão impulsionando o preço da criptomoeda”, comenta Theodoro Fleury, gestor da QR Asset Management.

Há um mês, a companhia comprou os direitos de nome da Arena Los Angeles, casa de times famosos da NBA, como o Lakers e o Clippers.

Piores rendimentos

Por outro lado, após se tornar o ativo digital com melhor variação em outubro, a cripto-meme Shiba Inu protagonizou o posto de pior variação em novembro, com queda de 29,85%. Segundo Fleury, essa baixa é apenas uma correção de mercado.

Logo abaixo estava a Quant Network, criptomoeda usada para realizar transações na rede blockchain Quantis, que permite o compartilhamento de arquivos intranet, transações anônimas, além de oferecer ferramentas descentralizadas.

“O QNT esteve entre os ativos que mais subiram no ano, então, não é surpresa que o preço corrija. No entanto, não tiveram eventos relevantes no mercado que justifiquem esse movimento, podendo ser, sim, um movimento natural de correção do token”, explica o gestor da QR Asset Management.

Em 2021, a Quant Network valorizou mais de 2.900%.

Mais Recentes da CNN