Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Suíça adota novas sanções econômicas contra a Rússia

    País rompeu com sua tradicional posição de neutralidade no início de março

    Ignazio Cassis, presidente da Suíça
    Ignazio Cassis, presidente da Suíça Photothek via Getty Images

    Abby BagginiArnaud Siadda CNN

    Ouvir notícia

    A Suíça adotou novas sanções contra a Rússia de acordo com o mais recente pacote de sanções da União Europeia (UE), anunciou o Conselho Federal Suíço na sexta-feira (25). “A decisão do conselho significa que a Suíça permanece alinhada com as medidas impostas pela UE em 9 e 15 de março em resposta à invasão da Ucrânia pela Rússia.

    Em 16 de março, a Suíça já havia adotado a lista ampliada de pessoas e entidades sujeitas a sanções financeiras impostas pela UE”, diz um comunicado do conselho.

    A Suíça impôs proibições relacionadas aos setores de energia e financeiro, além de lidar com bens de luxo, ferro e aço, disse o comunicado. “A exportação de bens e serviços relacionados para o setor de energia russo está agora proibida. Fica também proibida a participação em empresas do setor energético e a concessão de empréstimos ou outros recursos financeiros a essas empresas”, lê-se no comunicado.

    “É introduzida uma proibição à importação de produtos de ferro e aço da Rússia, ou originários da Rússia, bem como a proibição de exportação de bens de luxo e produtos de navegação marítima para a Rússia. No setor financeiro, são proibidas as transações com certas empresas estatais e a prestação de serviços de classificação de crédito”, disse ainda.

    No entanto, o Conselho Federal observou que decidiu permitir “certas exceções às sanções financeiras para fins humanitários“, dizendo que “facilitaria” as relações comerciais “necessárias para o trabalho de organizações humanitárias”.

    O conselho também disse que tomou a decisão de não implementar a medida da UE de suspender a transmissão de conteúdos de alguns meios de comunicação russos, “nomeadamente Sputnik e Russia Today”.

    “Apesar do fato de que esses meios são usados ​​para difundir propaganda direcionada e desinformação da Federação Russa, o Conselho Federal é da opinião de que é mais eficaz combater declarações falsas e prejudiciais com fatos em vez de impedir que sejam transmitidas”, disse o conselho.

    Tradicionalmente neutra, a Suíça decidiu aderir às sanções impostas pelos países da UE após o início da ofensiva russa. “O ataque da Rússia é um ataque à liberdade, à democracia, à população civil e um ataque às instituições de um país livre. Isso não pode ser aceito em relação ao direito internacional, isso não pode ser aceito politicamente e isso não pode ser aceito moralmente”, declarou o presidente suíço, Ignazio Cassis, em fevereiro.

     

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original

    Mais Recentes da CNN