Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Warner censura diálogo gay em “Animais Fantásticos” para lançamento na China

    Seis segundos de diálogo foram cortados entre os personagem de Jude Law e Mads Mikkelsen; essa não é a primeira vez que o país asiático retira enredos LGBTQ

    Jude Law como Alvo Dumbledore
    Jude Law como Alvo Dumbledore Courtesy Warner Bros. Pictures

    Frank PallottaSana Noor Haqda CNN

    Ouvir notícia

    A Warner Bros. removeu duas linhas de diálogo sobre um relacionamento gay para o lançamento chinês de seu último filme de “Harry Potter”.

    Os seis segundos de diálogo em “Animais Fantásticos: Os Segredos de Dumbledore” discutiam o romance entre os personagens masculinos Alvo Dumbledore, interpretado por Jude Law, e Gellert Grindelwald, vivido por Mads Mikkelsen. As linhas cortadas são “Eu estava apaixonado por você” e “o verão Gellert e eu nos apaixonamos”.

    O filme estreou na semana passada na China, o maior mercado de cinema do mundo, e o governo está apertando seu controle sobre a censura da mídia.

    Em uma declaração à CNN, um porta-voz da Warner Bros. disse que a companhia está “comprometida em proteger a integridade de todos os filmes que lançamos” e que “se estende a circunstâncias que exigem cortes sutis para responder com sensibilidade a uma variedade de fatores no mercado.”

    “Dumbledore” estreia nesta quinta-feira (14), nos cinemas brasileiros.

    “Nossa esperança é lançar nossos recursos em todo o mundo conforme lançados por seus criadores, mas historicamente enfrentamos pequenas edições feitas em mercados locais”, disse o estúdio. “No caso de ‘Animais Fantásticos: Os Segredos de Dumbledore’, um corte de seis segundos foi solicitado e a Warner Bros. aceitou essas mudanças para cumprir os requisitos locais, mas o espírito do filme permanece intacto.”

    A Warner Bros. observou que quer que os espectadores de todo o mundo “vejam e apreciem este filme”, ​​o terceiro da série “Animais Fantásticos”.

    “É importante para nós que o público chinês tenha a oportunidade de experimentar também, mesmo com essas pequenas edições”, disse o estúdio.

    Em 2016, o principal regulador de mídia da China emitiu novas diretrizes que proibiam programas de TV que promovem “estilos de vida ocidentais”, incluindo representações de decote, bebida, fumo e homossexualidade.

    Como resultado, esta não é a primeira vez que a China redigiu enredos LGBTQ. Em fevereiro, as principais plataformas de streaming chinesas censuraram um enredo da série de TV de sucesso dos anos 1990, “Friends”, em que o personagem Ross se divorcia depois que sua esposa Carol percebe que é lésbica.

    Em outro exemplo de março de 2019, mais de dois minutos de conteúdo LGBTQ – incluindo cenas de dois homens se beijando e uso da palavra “gay” – foram removidos da cinebiografia de Freddie Mercury, “Bohemian Rhapsody”.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original

    Mais Recentes da CNN