Os destaques de Palmeiras e Santos antes da final da Libertadores

Rony e Luiz Adriano pelo Palmeiras e Kaio Jorge e Marinho no lado do Santos fazem duelos entre duplas.

Abnoan Santiago, colaboração para a CNN
30 de janeiro de 2021 às 05:00 | Atualizado 30 de janeiro de 2021 às 07:54

 

palmeiras e santos
Rony, do Palmeiras, e Kaio Jorge, do Santos se destacaram na Libertadores
Foto: Divulgação

A final da Copa Conmebol Libertadores, no sábado (30), entre Palmeiras e Santos, no Maracanã, coloca em campo disputas que vão além do título de melhor time da América do Sul. A artilharia, a liderança em número de assistências e, claro, o posto de “Rei da América”, aparecem como motivações para os jogadores de cada lado.

Ambos os clubes estão em suas quintas finais de Libertadores. O Santos foi quem levou a melhor por mais vezes, podendo ser o único brasileiro a obter o tetracampeonato da competição quase dez anos depois do tri, conquistado em 2011 com Neymar e companhia. Já o Palmeiras deseja a segunda taça, o que pode coroar a “Era Crefisa”.

Pela artilharia, redenção e juventude

Pelo lado do Palmeiras, o atacante Rony lidera a artilharia, com cinco gols marcados em dez partidas. Ele também foi o jogador do time com mais assistências, com sete passes.

Depois de um início de temporada aquém do esperado após bom futebol apresentado pelo Athlético, o atacante chegou ao Verdão por R$ 28 milhões e não correspondeu às expectativas nas mãos do técnico Vanderlei Luxemburgo. A redenção aconteceu com Abel Ferreira. O atacante deu a volta por cima e iniciará a final como o maior marcador da equipe e líder em assistências.

Ao lado de Rony, o centro avante Luiz Adriano, também contabiliza cinco bolas nas redes. Mas somando a artilharia e assistências, Rony é o jogador com mais participações em gols em um time da Libertadores 2020. Logo atrás vem Matías Suárez, do River Plate, com 11.

Já no Santos, o centroavante Kaio Jorge, de apenas 19 anos, é o que se destaca em número de gols. O jovem conseguiu marcar cinco vezes em 11 partidas pela Libertadores. É uma média de 0,45 por jogo.

Ao lado de Kaio Jorge, quem se destaca é Marinho. O camisa 11 participou de cinco gols, com quatro marcados e uma assistência ao longo de nove partidas.

Apesar dos bons números dos artilheiros palmeirenses e santistas, quem quiser terminar como o principal goleador da Libertadores 2020 deverá ter uma tarde inspirada, pois na ponta aparece Fidel Martínez, do Barcelona, do Equador, com oito gols marcados na competição.

Assistências

Com sete assistências, Rony está a apenas uma de igualar as oito de Matías Suárez, do River. Depois do atacante, o lateral-esquerdo Matías Viña e o ponta-esquerda Wesley são os aparecem em segundo lugar neste quesito pelo Verdão, com três passes para gols, cada.

No Santos, nenhum jogador conseguiu despontar com assistências. Os mais bem colocados são o atacante Lucas Braga e o meio-campo Carlos Sanchez, com duas, cada.

Quem será o Rei da América?

O duelo da final da Libertadores também colocará a prova os candidatos ao título de Rei da América, pela Conmebol. Os dois camisas 11 de ambos os times aparecem na ponta como os favoritos.

Marinho iniciou como profissional pelo Fluminense, em 2008, e rodou por Internacional, Goiás e Náutico. A visibilidade veio em 2015, quando disputada a Série B daquele ano pelo Ceará, mas por um motivo inusitado: virou meme entrevista pós-jogo.

No mesmo ano, foi contratado pelo Cruzeiro, depois jogou no Vitória, e e foi vendido para os chineses do Changchun Yatai, no seguinte. Retornou em junho de 2018 ao Brasil, atuando pelo Grêmio. Sem espaço no clube gaúcho, se apresentou em maio de 2019, na Vila Belmiro, virando a principal peça de ataque do time.

Já Rony, com 25 anos, vive o seu auge no Palmeiras. Fundamental nas conquistas da Copa Sul-Americana (2017) e Copa do Brasil (2019) pelo Athlético, antes teve passagens por Remo, Cruzeiro Náutico e Albirex Niigata, do Japão.