Além de Rússia e Ucrânia: Saiba quais são as outras guerras ativas no mundo

Somadas, guerras civis na Síria e no Iêmen já deixaram pelo menos 500 mil mortos

Da CNN em Espanhol

Ouvir notícia

Quando o mundo parecia começar a emergir da pandemia de Covid-19, a escalada das tensões entre Rússia e Ucrânia teve o pior desfecho: a invasão russa e o surgimento de um novo conflito armado no coração da Europa, o que se soma às guerras ativas no mundo.

As imagens de tanques e veículos blindados agora avançando pela Ucrânia, de soldados montando trincheiras defensivas e de aviões e mísseis bombardeando cidades enquanto civis tentam escapar da guerra, trazem de volta memórias de guerras passadas.

Mas a Ucrânia não é o único conflito armado no mundo hoje.

Guerras ativas no mundo

Aqui está uma olhada nas principais guerras ativas em todo o mundo, de acordo com informações do Conselho de Relações Exteriores.

São guerras entre Estados, como no caso da Ucrânia, ou guerras civis em que facções definidas contam com o apoio de diferentes Estados, e que estão atualmente ativas no mundo. Conflitos internos e as chamadas guerras contra as drogas ou grupos criminosos foram levados em conta.

Ataque da Rússia à Ucrânia

Após meses de reforço militar russo na fronteira com a Ucrânia, a invasão russa do território ucraniano começou em 24 de fevereiro e os dois países estão em guerra desde então.

Forças russas avançam do norte, leste e sul nas principais cidades ucranianas, incluindo a capital Kiev e Kharkiv. Desde o fim de domingo (20) até o início desta segunda (21), explosões foram ouvidas em Kiev.  A equipe da CNN no local flagrou canhões antiaéreos disparando no céu noturno por vários minutos.

Além disso, pelo menos oito pessoas morreram em um ataque a um shopping center na capital, que está sob novo toque de recolher. Também hoje, o prazo emitido pela Rússia para que as autoridades de Mariupol entregassem a cidade foi ignorado após os ucranianos rejeitarem os termos da demanda russa.

Mariupol, que antes da guerra abrigava cerca de 450.000 pessoas, está sob ataque constante das forças russas desde o início de março, com imagens de satélite mostrando destruição significativa em áreas residenciais. Segundo relato à CNN, bombas estão caindo a cada 10 minutos” na cidade.

O Kremlin afirmou nesta segunda que as negociações de paz entre Rússia e Ucrânia ainda não renderam um avanço significativo para gerar um encontro entre Vladimir Putin e Volodymyr Zelensky.

A Ucrânia, ex-república soviética que se tornou independente em 1991, mantém uma relação histórica tensa com a Rússia e, nos últimos anos, vem se aproximando da Europa e dos Estados Unidos, expressando inclusive suas intenções de ingressar na Otan.

Moscou citou a expansão da Otan na Europa Oriental como uma das principais causas da escalada, bem como seu apoio aos separatistas pró-Rússia que travam uma guerra civil com o governo ucraniano em Donbass desde 2014.

Guerra civil na Síria

Ataque Israel Síria
Explosão em Damasco / Observatório de Direitos Humanos da Síria

A guerra civil na Síria começou em 2011, depois que o governo do presidente Bashar al Assad (filho do ex-presidente Hafez al Assad, que governou o país por 30 anos) reprimiu violentamente uma série de manifestações no país, e vários grupos de oposição tomaram as armas.

Com o tempo, quatro grandes facções tomariam forma: o regime sírio —apoiado pela Rússia—, as forças curdas , os grupos de oposição (como Jaish al Fateh, uma aliança entre a Frente Nusra e Ahrar-al-Sham) e o Estado Islâmico (ISIS). grupo no Iraque e na Síria.

Até agora, a guerra civil causou pelo menos 350 mil mortes, segundo estimativas da ONU, além de 6,6 milhões de deslocados, dos quais 5,6 milhões são refugiados em países vizinhos.

Guerra civil no Iêmen

Danos causados pelo ataque-resposta dos Emirados Árabes Unidos e a Arábia Saudita na capital iemenita de Sana’a / Foto: Getty Images

Os rebeldes houthis se revoltaram em 2015 e expulsaram o governo iemenita da capital, Sana’a, provocando uma guerra civil que ainda continua.

No momento, os houthis , apoiados pelo Irã, controlam parte do território e enfrentam o governo Do Iêmen, apoiado por uma coalizão liderada pela Arábia Saudita.

Segundo estimativas da ONU, em 2020, cerca de 233.000 pessoas morreram no Iêmen desde o início da guerra civil, das quais 131.000 perderam a vida por causas indiretas.

Guerra em Tigray

Exército Etíope comandou um massacre que deixou de dezenas de homens mortos em T
Exército Etíope comandou um massacre que deixou de dezenas de homens mortos em Tigray / Foto: Reprodução CNN

A Etiópia entrou em uma espiral de tensões entre o governo central e a região de Tigray —com a qual há um conflito histórico— em 2018 , depois que o primeiro-ministro Abiy Ahmed chegou ao poder.

Em novembro de 2020, o primeiro-ministro ordenou uma operação militar contra a Frente de Libertação Popular Tigray (TPLF).

Mais tarde, a Eritreia juntou-se às operações contra o TPLF, dando início a um conflito regional que ainda persiste e no qual foram feitas inúmeras acusações de atrocidades contra a população de Tigray.

Este conteúdo foi criado originalmente em espanhol.

versão original

Mais Recentes da CNN