Biden encerra dia de homenagens do 11 de Setembro em memorial no Pentágono

Presidente depositou coroa de flores em silêncio e concluiu agenda de seu primeiro aniversário do atentado na liderança dos EUA

Giovanna Galvanida CNN*

em São Paulo

Ouvir notícia

Após começar o dia em Nova York e conversar com familiares das vítimas do atentado de 11 de Setembro na Pensilvânia, o presidente americano Joe Biden encerrou a agenda de homenagens às vítimas da tragédia no Pentágono, sede do Departamento de Defesa dos EUA, também atacado há 20 anos.

Em 11 de setembro de 2001, paralelamente aos ataques nas Torres Gêmeas, um voo da American Airlines com 64 passageiros a bordo se chocou com o Pentágono e matou 120 pessoas.

Na cerimônia que encerrou o dia, Biden estava acompanhado da vice-presidente dos EUA Kamala Harris, de Lloyd Austin – secretário de Defesa dos EUA – e do general Mark Milley, chefe do Estado Maior.

A primeira-dama Jill Biden esteve com o presidente ao logo de todo o dia, incluindo no momento em que Biden depositou uma coroa de flores no local.

Como nos outros momentos do aniversário da tragédia, estabeleceu-se 1 minuto de silêncio em respeito às vítimas. O rito também foi realizado mais cedo no horário da colisão do avião com o prédio, que ocorreu pouco depois dos aviões chocarem-se contra os prédios do World Trade Center em Nova York.

Depois, sem falar com a imprensa, todos seguiram em direção à saída do memorial.

Com isso, Biden encerrou o 20º aniversário do atentado, o primeiro enquanto presidente e semanas após a retirada completa das tropas americanas do Afeganistão – um conflito motivado pela Guerra ao Terror instaurada pelos EUA em 2001.

Ao longo do dia, o presidente não fez discursos oficiais e focou em conversar com familiares dos três locais que visitou.

No entanto, Biden fez breves comentários a jornalistas ao sair da Pensilvânia, e elogiou o discurso feito pelo ex-presidente George W. Bush pela manhã.

“Nas semanas e meses que se seguiram aos ataques de 11 de setembro, tive orgulho de liderar um povo incrível, resiliente e unido. Quando se trata da união da América, aqueles dias parecem distantes dos nossos”, disse Bush, que era o presidente na época dos ataques e pertencia ao partido Republicano, adversário do Democrata, do qual Biden faz parte.

“O presidente Bush fez um discurso realmente bom hoje, um discurso genuinamente bom, sobre quem somos. O centro de quem somos não está dividido, é apenas uma noção. Não sei como explicá-la”, afirmou.

Especial

CNN Brasil apresentou uma programação especial neste sábado, 11/09, em transmissão simultânea com a CNN americana e com correspondentes espalhados pelos Estados Unidos, em homenagem às vítimas do atentado que completa 20 anos.

Confira:

*Com informações da CNN

Mais Recentes da CNN