Buscas por noivo de influenciadora assassinada nos EUA entram na segunda semana

Novas informações traçam trajetória de Brian Laundrie, que viajava com ela antes do crime. Funeral de Gabby Petito será realizado neste domingo

Brian Laundrie, noivo de Gabby Petito, influenciadora morta nos EUA
Brian Laundrie, noivo de Gabby Petito, influenciadora morta nos EUA Reprodução/Instagram

Travis Caldwellda CNN

Ouvir notícia

Desde que os pais de Brian Laundrie informaram há uma semana que não o viam há dias, dezenas de oficiais locais e federais fazem buscas por ele em uma reserva natural pantanosa da Flórida – o que sucede o desaparecimento e a descoberta do corpo de sua noiva, Gabby Petito, no estado de Wyoming.

A busca da Reserva Carlton foi retomada no sábado (25), disseram as autoridades.

Laundrie, que saiu de casa com uma mochila em 14 de setembro e disse aos pais que estava indo para a reserva, deixou seu telefone, celular e carteira para trás, disse uma fonte próxima da família à CNN na quinta-feira.

Uma multidão de pessoas vasculhou a área esta semana, utilizando de drones e cães de caça como parte da busca, disse o porta-voz do Departamento de Polícia do North Port, Josh Taylor.

Uma equipe de mergulho subaquático de Sarasota, “chamados para procurar provas de crimes e vítimas de afogamentos, acidentes aquáticos e brincadeiras sujas”, também foi acionada no meio da semana, afirmou o gabinete do xerife.

“Estamos procurando em áreas arborizadas, em corpos de água, em áreas pantanosas”, disse o comandante da polícia de North Point, Joe Fussell, em um vídeo compartilhado nas redes na sexta-feira (24).

“Estamos empregando os recursos para poder fazer isso. Temos unidades aéreas, drones, buggies do pântano, barcos aéreos, múltiplas agências policiais, temos ATVs, temos UTVs e temos oficiais a pé também”.

Petito e Laundrie embarcaram em uma viagem pelo país em junho e estavam visitando parques nacionais. Eles postavam regularmente nas redes sobre suas viagens com a hashtag #VanLife, mas as publicações pararam de acontecer abruptamente no final de agosto.

Laundrie voltou para casa com sua van em 1º de setembro. Petito foi dada como desaparecida em 11 de setembro, após sua família não ter conseguido entrar em contato com ela.

Ela foi encontrada morta oito dias depois, perto de um acampamento na Floresta Nacional de Bridger-Teton, no Wyoming.

De acordo com um mandado de prisão emitido na quinta-feira, Laundrie é procurado pelo suposto uso de “dispositivos não autorizados” no período que se seguiu à morte de Petito.

O mandado “não muda nada para nós”, disse Fussell. “Estamos trabalhando tão duro para encontrá-lo agora quanto no primeiro dia”.

As condições são difíceis com águas turvas, estradas enlameadas e vegetação densa, de acordo com vídeos compartilhados pela polícia de North Port. “A dificuldade é uma condição prévia”, disse o porta-voz da polícia.

Taylor também afirmou que os esforços empenhados no sábado e domingo irão se concentrar em “áreas de maior probabilidade”.

Nova evidência de carona surge

Com as forças de segurança na região, mais histórias surgem sobre interações envolvendo Laundrie antes de seu retorno à Flórida.

Norma Jean Jalovec, uma residente sazonal do Wyoming, disse à CNN que pegou Laundrie não muito longe da Represa Jackson Lake em 29 de agosto, por volta das 18h15, e lhe deu carona para o acampamento disperso de Spread Creek, onde os restos mortais de Gabby Petito foram encontrados mais tarde.

Laundrie estava pedindo carona, disse Jalovec, e entrou no banco do passageiro de seu Toyota SUV 4-Runner.

Segundo Jalovec, Laundrie disse a ela que ele e sua noiva tinham um blog de viagem, que ela estava em sua van na área de camping trabalhando no blog, e que ele tinha caminhado ao longo do aterro do Rio Snake por alguns dias.

Jalovec disse que, quando chegaram a Spread Creek, ela deixou Laundrie antes do portão de entrada da área de acampamento.

Ela disse que se ofereceu uma ou duas vezes para levá-lo mais longe, mas ele insistiu que fosse deixado na entrada.

Laundrie então ofereceu seu dinheiro para a gasolina, mas ela recusou, disse ela.

Jalovec contou que assim que viu uma série de vídeos postados no TikTok por Miranda Baker, que disse ter dado carona a Laundrie e o deixado na represa Jackson Lake, ela ligou para o FBI e compartilhou todas as informações que tinha.

Baker afirmou que ela deixou Laundrie perto da represa às 18h09, e Jalovec teria o pegado poucos minutos depois.

“Estou feliz por ter podido ajudar na investigação que o situou em Spread Creek em um horário definido no dia 29 de agosto”, disse Jalovec à CNN.

A CNN não foi capaz de verificar independentemente as reivindicações de Baker. A polícia de North Port confirmou à CNN que Baker falou com o departamento antes de colocar os vídeos no TikTok.

Recompensas

Como a busca por Laundrie se estende por duas semanas, duas recompensas separadas, que totalizam 30 mil dólares, foram oferecidas a qualquer pessoa que informe aos agentes da lei o paradeiro do homem.

Boohoff Law, uma firma de advocacia de danos pessoais, disse em um comunicado em seu website que está oferecendo uma recompensa de 20 mil dólares a ser “paga uma vez que as equipes de investigação forneçam” à firma uma “verificação por escrito de que uma dica ajudou a localizar” Laundrie.

O escritório de advocacia, que tem unidades em toda a Flórida, incluindo North Port, disse que sua recompensa “permanecerá aberta por dois meses a partir do recebimento da dica” pelas autoridades policiais.

Enquanto isso, uma segunda recompensa foi oferecida por Jerry Torres, que disse em um tweet quarta-feira que era um vizinho da família Petito.

Segundo o FBI, perícia confirma que Gabby Petito foi assassinada
Segundo o FBI, perícia confirma que Gabby Petito foi assassinada / Reprodução/wheresgabby.com

Torres escreveu que ele e sua filha “oferecem nossas mais profundas condolências à família de Gabby Petito”, acrescentando: “Estamos oferecendo uma recompensa de 5 mil dólares por dicas que levem a uma prisão”.

Torres disse na sexta-feira que a recompensa foi aumentada para 10 mil dólares, graças à ajuda de pessoas como Steve Moyer, o ex-vice-chefe de polícia de Sarasota, Flórida.

“O dinheiro faz as pessoas falarem”, disse Moyer à filial da CNN, WZVN, na sexta-feira.

Funeral de Gabby será neste domingo

O desaparecimento de Petito e a subsequente busca por Laundrie gerou uma onda de interesse nacional, bem como trouxe maior atenção a outros casos de desaparecimento nos Estados Unidos.

Desde a descoberta de Petito, foram realizadas vigílias desde Salt Lake City até a costa leste.

Na sexta-feira, os residentes de Blue Point, Nova York – a cidade natal de Petito em Long Island – acenderam velas em um memorial para mostrar apoio a sua família.

Os organizadores de “Light the Night For Gabby Petito” esperam que manifestações semelhantes se estendam além de Long Island, de acordo com a filial da CNN WABC.

As velas foram fornecidas juntamente com um pedido de doação de 20 dólares com a receita destinada à família Petito, disse a WABC.

Uma iluminação com velas e um memorial de liberação de borboletas está previsto para a noite de sábado em North Port, em frente à prefeitura, de acordo com o The Daily Sun.

As visitas em um memorial feito para Petito estão previstas para a tarde de domingo em Holbrook, em Long Island, de acordo com a Funerária Holbrook de Moloney. Ela será aberta ao público.

Richard Stafford, advogado da família de Petito, confirmou em uma declaração na sexta-feira que seu funeral seria realizado no domingo, acrescentando que a família pediu que, em vez de flores, fossem feitas doações para a futura Fundação Gabby Petito.

Mais Recentes da CNN