Caminhoneiros protestam há duas semanas contra regras da pandemia no Canadá

Há relatos de agressões, desordem e prisões; prefeito de Ottawa, capital do país, declarou estado de emergência

Paula NewtonTravis Caldwellda CNN

Ouvir notícia

Pela segunda semana, protestos acontecem em todo o Canadá contra medidas de combate à Covid-19, com estradas bloqueadas e comícios – às vezes perigosos, com investigações de incidentes relacionados a ódio e prisões em meio a relatos de pedras e ovos jogados.

Desencadeadas por caminhoneiros que foram ao centro de Ottawa em 29 de janeiro para protestar contra a nova vacina contra o coronavírus e às regras de testagem, mais manifestações com caminhões parados nas estradas surgiram neste fim de semana.

Em Toronto, caminhões bloquearam um grande cruzamento por horas, impedindo até socorristas de transitarem. Protestos também eclodiram em Winnipeg, Vancouver e Quebec.

Centenas de manifestantes e veículos ainda ocupam o centro de Ottawa nesta segunda-feira (7), onde o combustível é proibido de entrar na “zona vermelha”  – uma região do protesto em frente ao parlamento.

Das mais de 60 investigações criminais em andamento na capital, a maioria envolve supostos crimes de ódio, danos materiais, roubos e danos, disse a polícia local.

O primeiro-ministro Justin Trudeau, que anunciou há uma semana que testou positivo para Covid-19, permanece isolado em um local não revelado, com reuniões privadas em sua agenda para o dia; ele está totalmente vacinado e recebeu a dose de reforço.

O conselho da cidade de Ottawa deve se reunir ainda nesta segunda, um dia após o prefeito Jim Watson declarar estado de emergência por causa dos protestos do “Freedom Comvoy”. A maioria das empresas no centro da cidade está fechada há mais de uma semana ou tem horário de funcionamento reduzido, com os proprietários reclamando de perdas financeiras à medida que os clientes diminuem.

“Declarar um estado de emergência reflete o sério perigo e ameaça à segurança dos moradores representados pelas manifestações em andamento e destaca a necessidade de apoio de outras jurisdições e níveis de governo”, disse Watson em comunicado.

As manifestações começaram como uma objeção a um recente mandato de vacina que exige que os caminhoneiros que entram no Canadá estejam totalmente vacinados ou enfrentem requisitos de testes e quarentena.

Outros manifestantes se juntaram, então, para protestar contra os mandatos de máscaras, restrições a reuniões e outros esforços preventivos contra a Covid-19.

“Asituação foi além de apenas vacinas, e agora é sobre o todo”, disse o manifestante James MacDonald à CNN, acrescentando que está em Ottawa desde o fim de semana passada e não tem planos de sair até que as medidas restritivas sejam retiradas.

Ainda assim, o Canadá tem uma das maiores taxas de vacinação do mundo, com cerca de quatro em cada cinco canadenses totalmente vacinados, segundo dados da Universidade Johns Hopkins.

Polícia de Ottawa investiga possíveis crimes de ódio

A linha de telefone para denúncia de crimes motivados por ódio em Ottawa – criada após relatos de atos antissemitas, racistas e homofóbicos nos protestos contra as medidas preventivas – recebeu mais de 200 ligações, segundo a polícia.

“Já temos vários incidentes relacionados ao ódio que estamos investigando”, disse o chefe de polícia de Ottawa, Peter Sloly, na semana passada. “Encorajamos qualquer pessoa que tenha sido vítima de um crime de ódio ou ache que possa ter sido vítima de um crime de ódio ou exposta a incidentes de ódio a entrar em contato conosco”, acrescentou.

Pelo menos sete prisões foram feitas no domingo (6) na cidade desde a manhã de sábado (5), disse o Serviço de Polícia de Ottawa, inclusive por uso excessivo de buzina, dirigir na contramão ou na calçada, não usar cinto de segurança, ter álcool prontamente disponível e portar classe imprópria da carteira de habilitação.

Manifestantes se reúnem para um protesto contra os mandatos e restrições da vacina Covid-19 no centro de Toronto, Canadá, em 5 de fevereiro de 2022. mandatos está agora em sua segunda semana / Anatoliy Cherkasov/NurPhoto via Getty Images

Os manifestantes “exibiram um comportamento extremamente perturbador e ilegal”, disse a polícia em um comunicado, que criou “riscos à segurança pública e sofrimento inaceitável” para os moradores.

As autoridades aconselharam repetidamente os manifestantes a “não entrar em Ottawa e ir para casa”.

Veículos e combustível foram apreendidos, disse a polícia, alertando que “qualquer pessoa encontrada trazendo combustível para os caminhões de manifestantes na ‘zona vermelha’ pode estar sujeita a prisão e acusações”.

Oficiais responderam a mais de 650 pedidos de serviço em relação às manifestações desde o início, disse a polícia no domingo.

Um fim de semana de prisões e protestos

Em Vancouver, centenas de veículos viajaram pela cidade a caminho de uma manifestação, disse a polícia local. Cinco pessoas foram presas no sábado em meio a relatos de “pedras e ovos sendo jogados, carros sendo chutados e pregos espalhados nas estradas”, disseram as autoridades. Estas pessoas foram liberadas posteriormente, segundo a polícia.

Entre elas estava um cidadão americano de 29 anos do estado de Washington, que foi preso depois que os policiais o viram usando uma balaclava e puxando uma carroça cheia de caixas de ovos, disse a polícia. O homem tinha uma faca em uma bainha amarrada ao cinto e dois ovos no bolso da jaqueta, informaram.

“Todos têm o direito de se reunir pacificamente e expressar suas opiniões, e o Departamento de Polícia de Vancouver está comprometido em fornecer um ambiente seguro para protestos legais”, disse o sargento da polícia Steve Addison.

“Os protestos de hoje atraíram milhares de pessoas apaixonadas por suas causas. Enquanto a maioria dos manifestantes eram pacíficos, alguns tiveram que ser presos por comportamento violento e conduta ilegal”, acrescentou.

Em Toronto, a maior cidade do Canadá, milhares foram às ruas no sábado. E, apesar dos esforços da polícia, vários caminhões bloquearam um grande cruzamento por horas. As autoridades relataram problemas para abrir caminho para veículos de emergência perto do protesto, alertando novamente em um comunicado que isso era “inaceitável e não será tolerado”.

A cidade de Quebec também registrou milhares de manifestantes e centenas de caminhões ocupando as ruas enquanto moradores e visitantes tentavam desfrutar de um carnaval de inverno.

Em Winnipeg, uma manifestação na noite de sexta-feira tornou-se perigosa quando um homem atropelou uma multidão, atingindo quatro pessoas, de acordo com o Departamento de Polícia da cidade. Três dos atingidos não precisaram de atendimento médico e o quarto foi tratado e liberado de um hospital da região, disse a polícia.

O suspeito foi preso após uma breve briga com a polícia, informaram as autoridades. “Alguns comentários que ele fez após sua prisão sugeriram que sua motivação não era especificamente sobre as causas subjacentes dos protestos ou os mandatos”, disse o policial Rob Carver, do Serviço de Polícia de Winnipeg, no sábado.

Ele enfrenta 11 acusações, incluindo agressão com arma, operação perigosa de um meio de transporte e não parar após um acidente, disseram as autoridades.

Joe Sutton, Keith Allen, Laura James, Melissa Alonso, Caroline Kucera, Caroll Alvarado, Eric Levenson e Hannah Sarisohn, da CNN, contribuíram para esta reportagem

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN