Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Biden e Trump vencem primárias da Pensilvânia, mas Nikki Haley ainda é lembrada

    Milhares de apoiadores insistem em votar na ex-governadora da Carolina do Sul

    Pré-candidata presidencial republicana Nikki Haley
    Pré-candidata presidencial republicana Nikki Haley Mike Segar/Reuters (08.nov.23)

    Jarrett Renshawda Reuters

    Filadélfia

    O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e o candidato republicano, Donald Trump, venceram facilmente as primárias no Estado da Pensilvânia, de acordo com números da Edison Research, mas milhares de republicanos insistiram em votar na ex-candidata Nikki Haley.

    A Pensilvânia, com 19 delegados dos 538 totais no colégio eleitoral, é um dos principais estados pêndulos na eleição presidencial de 2024, que será uma revanche entre Biden e Trump.

    As primárias da terça-feira (23) foram uns dos últimos testes de entusiasmo dos eleitores em uma campanha marcada por baixos índices de aprovação de ambos os candidatos.

    Com quase 50% dos votos apurados, Biden quase 500 mil votos, ou 94,4%, de acordo com dados do Estado. Dean Phillips, um deputado democrata que desistiu da disputa, tinha pouco mais de 29.300 votos, ou 5,6%.

    Trump tinha 268.670 votos, ou 79,4%, com 33% dos votos apurados, segundo os dados. No entanto, Nikki Haley, que desistiu da disputa republicana, tinha mais de 70 mil votos, ou 20,6%.

    O nome de Haley permaneceu na cédula eleitoral da Pensilvânia depois que ela encerrou sua campanha em março.

    Seus resultados mostram que uma parte dos republicanos continua insatisfeita com Trump, que está em julgamento por 34 acusações criminais em um caso de suborno em Nova York.

    Eleitores muçulmanos e árabe-americanos montaram uma campanha “Abandone Biden” na Pensilvânia para protestar contra a maneira como o presidente tem lidado com a crise em Gaza.

    Biden enfrentou manifestações semelhantes em outros estados decisivos, como Arizona, Wisconsin e Carolina do Norte, sendo que o maior protesto ocorreu na primária de Michigan.

    Na Pensilvânia, os organizadores desses movimentos de protesto tinham como meta obter 40 mil votos “descomprometidos” por escrito. A expectativa é que esse resultados não sejam divulgados tão cedo, porque ainda precisam ser registrados manualmente.

    Trump e Biden conquistaram matematicamente as indicações de seus partidos no início de março e serão apresentados oficialmente nas convenções nacionais dos seus partidos em julho e agosto, respectivamente.

    Em 2020, Biden venceu na Pensilvânia por menos de 1,5 ponto percentual, ou cerca de 80 mil votos. Trump venceu a democrata Hillary Clinton no estado por menos de 45 mil votos em 2016. Ambos têm visitado a região nas últimas semanas.