Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    OVNIs: veja imagens das aparições nos EUA e saiba o que diz o Pentágono

    David Grusch, um ex-oficial de inteligência da Força Aérea dos EUA, acusou o governo de encobrir suas investigações sobre avistamentos de objetos não identificados

    Da CNN

    Durante anos, o governo dos EUA ignorou os relatos de misteriosos objetos voadores vistos se movendo pelo espaço aéreo militar restrito. No entanto, agora Washington está lentamente começando a reconhecer que os Objetos Voadores Não Identificados (OVNIs), aos quais o Pentágono se refere como fenômenos aéreos não identificados, são reais.

    As informações mais recentes relacionadas a esses fenômenos ocorreram na quarta-feira (26), quando três militares aposentados testemunharam em uma audiência da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos sobre “Fenômenos Anômalos Não Identificados” – conhecidos como “FANI” e mais comumente chamados de OVNIs – e alertaram que os avistamentos constituem um problema de segurança nacional e que o governo tem mantido sigilo excessivo a esse respeito.

    Um subcomitê de supervisão da Câmara dos Representantes convocou a audiência de quarta-feira sobre OVNIs. Os parlamentares que pressionaram pela audiência pediram que o governo fosse mais transparente sobre fenômenos anômalos não identificados.

    Um ex-piloto da Marinha dos EUA disse que se trata de uma questão de segurança nacional e, embora o governo dos EUA tenha divulgado relatórios nos últimos anos sobre esse fenômeno, alguns deles permanecem inexplicados, enquanto outros foram atribuídos a “balões ou entidades-balão”, bem como drones, pássaros, fenômenos climáticos ou detritos transportados pelo ar, como sacolas plásticas.

    A discussão recente foi reacendida em junho de 2021, quando alguém publicou vídeos de um OVNI desaparecendo rapidamente como se tivesse mergulhado bruscamente na água. Naquele ano, um relatório sobre OVNIs foi divulgado pelo Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional e outras agências.

    O mais recente sobre OVNIs

    Ryan Graves, um ex-piloto da Marinha que agora dirige o Americans for Safe Aerospace, um grupo que ele fundou para encorajar os pilotos a relatar incidentes de Fani, e David Fravor, um major aposentado da Marinha dos EUA, testemunharam perante o Congresso em 26 de julho de 2023.

    Ambos falaram de seus próprios avistamentos enquanto serviam nas forças armadas.

    David Grusch, um ex-oficial de inteligência da Força Aérea, acusou o governo de encobrir suas investigações sobre avistamentos de objetos não identificados e disse que compartilhou a informação com o inspetor geral da comunidade de inteligência.

    VÍDEO – OVNIS: militares americanos cobram respostas da Casa Branca

    Grusch fez uma declaração surpreendente perante a Câmara: “A tecnologia que enfrentamos era muito superior a qualquer coisa que tínhamos”, disse ele sobre um avistamento que teve em 2004, quando perguntado por que os fenômenos são uma ameaça à segurança nacional.

    “No momento, precisamos de um sistema em que os pilotos possam relatar sem medo de perder o emprego”, disse Graves. “Existem temores de que o estigma associado a esse tópico cause repercussões profissionais, seja por meio da administração ou de seu exame físico anual”.

    Nesta ocasião, nenhum funcionário do governo depôs sobre estes fatos.

    Governo dos EUA “rastreia mais de 650 possíveis casos de OVNIs”

    Em abril deste ano, Sean Kirkpatrick, diretor do Escritório de Resolução de Anomalias do Pentágono, criado pelo Congresso, disse a um subcomitê do Senado que o governo dos EUA estava rastreando 650 casos potenciais de fenômenos aéreos não identificados.

    Kirkpatrick enfatizou que não há evidências de vida extraterrestre e que seu escritório não encontrou “nenhuma evidência confiável” de objetos que desafiam as leis conhecidas da física.

    O funcionário exibiu vídeos de dois casos que foram desclassificados, um resolvido e outro não resolvido.

    O primeiro vídeo mostrava uma pequena esfera voando pela tela da câmera de um drone MQ-9 no Oriente Médio em 2022. A câmera do drone seguia o objeto enquanto ele se movia pelo céu, entrando e saindo da tela.

    Kirkpatrick explicou que este caso não foi resolvido porque não havia nenhuma outra evidência além do vídeo.

    “Será praticamente impossível identificá-lo completamente, apenas com base naquele vídeo”, disse ele, acrescentando que a esperança é que, à medida que mais dados forem coletados sobre esses episódios, possam surgir padrões para ajudar a explicar os casos não resolvidos.

    No segundo vídeo, capturado no sul da Ásia no início deste ano, um objeto passou voando por drones MQ-9, incluindo um que foi capturado em vídeo parecendo ter uma trilha de propulsão atrás dele, que Kirkpatrick disse inicialmente se acreditar ser “verdadeiramente anômalo”.

    Mas ele afirmou que depois de separar o vídeo quadro a quadro, seu escritório determinou que era uma “imagem de sombra”.

    OVNIs que aparecem e desaparecem

    Em maio de 2021, o fã de OVNIs Jeremy Corbell postou imagens feitas por um navio da Marinha. No vídeo, que vazou, um objeto não identificado pode ser visto voando sobre a água. Pode-se então vê-lo desaparecer rapidamente, como se submergisse repentinamente:

    Dias depois, Poppy Harlow, da CNN, falou com Corbell sobre outro novo vídeo de objetos enxameando um navio da Marinha dos EUA na costa de San Diego.

    A publicação dessas imagens ocorre semanas antes de um relatório do governo dos Estados Unidos sobre fenômenos aéreos não identificados. Isso, conforme explicado no início do texto, acontecerá em junho deste ano.

    O que são OVNIs?

    Resumindo, um OVNI é um objeto voador que se parece ou se move de maneira diferente de qualquer aeronave usada pelos Estados Unidos ou qualquer país estrangeiro.

    Os OVNIs estão envoltos em mistério e ainda há muito mais perguntas do que respostas sobre esses incidentes inexplicáveis.

    Houve numerosos avistamentos de OVNIs nos últimos anos, mas os militares dos EUA só recentemente verificaram alguns desses encontros.

    Pentágono confirma vídeos de OVNIs feitos pela Marinha

    Em abril de 2021, o Pentágono confirmou a autenticidade das fotos e vídeos feitos pela Marinha em 2019, que pareciam mostrar objetos em forma de triângulo trêmulos movendo-se através das nuvens.

    Outro conjunto de fotos de membros da Marinha mostrou três objetos aparentemente voando no céu, em forma de esfera, uma bolota e um dirigível metálico.

    Em abril de 2020, o Pentágono divulgou três vídeos curtos de câmeras infravermelhas que pareciam mostrar objetos voadores em movimento rápido. Em dois dos vídeos, os militares são mostrados reagindo com espanto com a rapidez com que os objetos se movem. Uma voz especula que poderia ser um drone.

    Um mês depois, em maio de 2020, foram fornecidos detalhes sobre os referidos vídeos.

    O que a Marinha e o Departamento de Defesa disseram?

    A Marinha reconheceu a veracidade dos vídeos em setembro de 2019, mas os divulgou oficialmente meses depois, “a fim de esclarecer quaisquer equívocos públicos sobre se as imagens que circulavam eram reais ou se há mais nos vídeos”, disse a porta-voz Sue Gough na época.

    “Depois de uma análise minuciosa, o Departamento de Defesa determinou que a liberação autorizada desses vídeos não classificados não revela nenhuma capacidade ou sistema sensível”, disse Gough em um comunicado, “e não afeta nenhuma investigação subsequente sobre incursões no espaço aéreo de fenômenos aéreos não identificados”.

    VÍDEO – Câmara dos EUA analisará denúncias sobre OVNIs mantidos em segredo

    Os vídeos da Marinha foram lançados pela primeira vez entre dezembro de 2017 e março de 2018 pela To The Stars Academy of Arts and Sciences, uma empresa cofundada pelo ex-membro da banda Blink-182, Tom DeLonge, que diz estudar informações sobre fenômenos aéreos não identificados.

    Nesses vídeos, datados de 2004, os sensores se fixam em um alvo enquanto ele voa antes de acelerar para fora do lado esquerdo do quadro, rápido demais para os sensores se reposicionarem.

    O que o piloto que avistou os OVNIs nos vídeos de 2004 diz?

    Em 2017, um dos pilotos que viu um dos objetos não identificados em 2004 disse à CNN que ele estava se movendo de uma forma que ele não conseguia explicar.

    “Quando me aproximei, ele acelerou rapidamente para o sul e desapareceu em menos de dois segundos”, disse o piloto aposentado da Marinha dos EUA David Fravor.

    “Isso foi extremamente difícil, como uma bola de pingue-pongue quicando na parede. Ela batia e ia para o outro lado.”

    O que o relatório de inteligência diz sobre OVNIs?

    Muito pouco se sabe sobre OVNIs, de acordo com um relatório sobre o assunto publicado pela comunidade de inteligência dos EUA em 2021, importante pois foi uma das primeiras vezes que o governo dos Estados Unidos reconheceu publicamente que estranhos avistamentos aéreos por pilotos da Marinha e outros merecem um exame legítimo.

    O trabalho examinou 144 relatórios do que o governo chamado de “Fenômeno Aéreo Não Identificado” (UAP, na sigla em inglês), dos quais apenas um pôde ser explicado pelos pesquisadores ao final do estudo.

    Os especialistas não encontraram evidências de que os avistamentos representassem vida extraterrestre ou um avanço tecnológico de um adversário estrangeiro como a Rússia ou a China, mas eles reconhecem que é uma possível explicação.

    Em abril, o Pentágono divulgou vídeos que mostram OVNIs se movendo rapidamente
    Em abril, o Pentágono divulgou vídeos que mostram OVNIs se movendo rapidamente enquanto eram gravados por câmeras com sistema infravermelho / Foto: Academia de Artes e Ciências To The Stars

    “Dos 144 relatórios que estamos discutindo aqui, não temos nenhuma indicação clara de que haja uma explicação não terrestre para eles, mas iremos aonde os dados nos levarem”, disse um alto funcionário dos EUA.

    Mas os investigadores também estavam convencidos de que a maioria dos avistamentos eram “objetos físicos”, disse o oficial a repórteres ao publicar o relatório.

    “Acreditamos absolutamente que o que estamos registrando não são simples artefatos de sensores. São coisas que existem fisicamente”, disse o funcionário, observando que 80 dos incidentes relatados envolveram dados de vários sensores.

    Em 11 casos, os pilotos declararam ter estado prestes a colidir com esses objetos estranhos.

    No entanto, o relatório de nove páginas deixa claro que mais trabalho precisa ser feito para identificar esses objetos, pois “o número limitado de relatórios de alta qualidade de fenômenos aéreos não identificados dificulta nossa capacidade de tirar conclusões firmes sobre sua natureza ou intenção”.

    Programa do Pentágono para estudar OVNIs

    O Pentágono estudou anteriormente gravações de encontros aéreos com objetos desconhecidos como parte de um programa classificado que não existe mais. Isso foi conseguido por meio dos esforços de Harry Reid, um ex-senador democrata de Nevada.

    O programa foi lançado em 2007 e encerrado em 2012, segundo o Pentágono, porque foi avaliado que havia prioridades mais importantes que precisavam de financiamento.

    Reid, Elizondo e outros que pressionaram o governo dos EUA a liberar mais informações sobre OVNIs dizem que os materiais que foram divulgados até agora apenas arranham a superfície do que é conhecido.

    Força-Tarefa OVNI

    Em 2020, o Pentágono criou uma força-tarefa para entender melhor “a natureza e as origens” de fenômenos aéreos não identificados, informou o Departamento de Defesa em comunicado.

    “O Departamento de Defesa e os departamentos militares levam muito a sério qualquer incursão de aeronave não autorizada em nossos campos de treinamento ou espaço aéreo designado e revisam todos os relatórios.”

    “Isso inclui examinar incursões inicialmente relatadas como fenômenos aéreos não identificados, quando o observador não consegue identificar imediatamente o que está vendo”, informou o comunicado.

    O grupo de trabalho incluiu os vídeos cuja autenticidade foi confirmada em abril deste ano.

    * Publicado por Lucas Schroeder

    Este conteúdo foi criado originalmente em espanhol.

    versão original