Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ainda há brasileiros em Gaza, mas não existe 2ª lista para repatriação, diz representante do Brasil na Palestina à CNN

    "Comunidade na região tem cerca de 100 brasileiros e familiares, incluindo os que já retornaram", explicou Alessandro Candeas

    Leonardo Rodriguesda CNN

    Em São Paulo

    “A comunidade brasileira em Gaza tem cerca de 100 brasileiros, incluindo aqueles que já retornaram ao Brasil”, disse à CNN, nesta segunda-feira (13), Alessandro Candeas, após 32 pessoas deixarem a região, afetada pela guerra entre Israel e o Hamas, rumo a Brasília. Segundo ele, não há uma segunda lista de solicitações de retorno.

    O processo de repatriação teve diversos entraves, incluindo o fechamento temporário da fronteira de Rafah, até o momento de embarque. Para Candeas, foram “três semanas de inércia angustiante” até garantir a segurança dos cidadãos.

    Negociação para a saída

    O representante do Brasil afirmou que, desde o início do conflito, houve uma mobilização pela retirada dos brasileiros. “Imagens como essa [do embarque] nos alegram e recompensam esse esforço”.

    O processo envolveu o abrigo desse grupo em uma escola e, depois, em locais alugados. Para garantir a segurança dos espaços, o paradeiro era informado ao governo de Israel e outras autoridades, relatou Candeas.

    Ele descreveu a interlocução pela saída como “complexa em todos os níveis”. Além de Israel e do Egito, ela envolveu ainda o grupo radical islâmico que controla Gaza.

    “Era necessário ter algum canal pragmático, prático e objetivo com as autoridades de Gaza. Isso não implica em qualquer nível de negociação ou reconhecimento, mas, para entrar ou sair da região, a autorização do grupo que, de fato, a controla é necessária”, contou.

    Além da complexidade da negociação, o representante citou ainda o bombardeio de estradas próximas como uma dificuldade adicional para a retirada.

    Ele não classificou esse ato como uma retaliação de nenhuma das partes envolvidas no embate ao posicionamento brasileiro.

    Veja também: Lula diz que “Israel joga bombas onde tem crianças e mata inocentes sem nenhum critério”