Talibã exibe armas apreendidas no desfile de vitória em Kandahar

Os militantes agitaram bandeiras brancas do Talibã em Humvees e SUVs blindados no desfile militar, onde muitos dos veículos apareceram em condições quase perfeitas

Jonny HallamMick Kreverda CNN

Ouvir notícia

O Talibã exibiu na quarta-feira (1) dezenas de veículos blindados de fabricação americana junto com armas apreendidas recentemente nas celebrações da vitória na cidade de Kandahar, no sul do Afeganistão.

Em vídeos postados nas redes sociais, o Talibã desfilou a artilharia deixada para trás pelas forças afegãs e americanas depois que a retirada das últimas tropas americanas deixou o Afeganistão nas garras do grupo militante.

Os militantes agitaram bandeiras brancas do Talibã em Humvees e SUVs blindados no desfile militar, onde muitos dos veículos apareceram em condições quase perfeitas. O Talibã também organizou uma exibição aérea com um helicóptero Black Hawk recentemente apreendido, passando pelos militantes ao longo da estrada, enquanto também arrastava uma bandeira branca do Talibã.

O desfile aconteceu um dia depois de um vídeo ter mostrado os militantes passando por um hangar abandonado no aeroporto de Cabul repleto de equipamentos que os EUA deixaram para trás.

Desfile de vitória do Talibã na cidade de Kandahar, em 1 de setembro de 2021 / STRINGER/EPA-EFE/Shutterstock

Em um vídeo, militantes vestidos com uniformes no estilo americano e segurando armas fabricadas nos EUA examinaram um helicóptero CH-46 Sea Knight estacionado dentro de um hangar. Os combatentes do Talibã também foram vistos posando para fotos sentados nas cabines de aviões e helicópteros que pertenceram à Força Aérea Afegã.

O secretário de imprensa do Pentágono, John Kirby, disse à CNN na terça-feira (31) que não estava “muito preocupado com essas imagens” de combatentes do Talibã examinando a aeronave abandonada.

“Eles podem inspecionar o quanto quiserem”, disse Kirby. “Eles podem olhar para eles, podem andar – mas não podem pilotá-los. Eles não podem operá-los.”

Ele acrescentou que os militares dos Estados Unidos haviam inutilizado “todo o equipamento que está no aeroporto – todas as aeronaves, todos os veículos terrestres”, deixando apenas alguns caminhões de bombeiros e empilhadeiras operacionais.

Os esforços para reabrir o aeroporto de Cabul foram retomados na quarta-feira, quando uma equipe de especialistas técnicos do Catar chegou à capital afegã, disse uma fonte com conhecimento da situação à CNN.

Militante do Talibã em desfile de armamentos em comemoração à saída dos EUA do Afeganistão / STRINGER/EPA-EFE/Shutterstock

A fonte disse que a equipe técnica viajou para Cabul em um jato do Catar a pedido do Talibã e que, embora nenhum acordo final tenha sido alcançado, “as negociações ainda estão em andamento no nível de segurança e operação”.

“O objetivo é retomar os voos de entrada e saída de Cabul para assistência humanitária e liberdade de movimento de maneira segura e protegida”.

O Afeganistão depende fortemente da ajuda estrangeira, e a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) já têm lutado para levar alimentos e suprimentos médicos essenciais para o aeroporto em meio à operação de evacuação em massa.

Mesmo antes da turbulência política das últimas semanas, o Afeganistão representava a terceira maior preocupação humanitária do mundo, com mais de 18 milhões de pessoas necessitando de assistência, de acordo com a UNICEF. Mas, como nenhuma aeronave comercial tem permissão para pousar em Cabul, será difícil conseguir ajuda.

Reiniciar voos comerciais também será crucial para pessoas que ainda querem deixar o país, mas não conseguiram embarcar em aviões militares de evacuação.

Mais de 123.000 pessoas foram evacuadas por aviões americanos e da coalizão desde 14 de agosto, disse o general do Comando Central dos EUA, Frank McKenzie, na segunda-feira (30).

(Texto traduzido. Leia o original em inglês.)

Mais Recentes da CNN