Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Tropas russas deixaram região de Sumy, no norte da Ucrânia, diz governo local

    Autoridades ucranianas apontam que exército russo mudou estratégia e se movimenta em direção ao domínio do leste do país

    Homem passa por tanque russo destruído na cidade de Trostyanets, localizada no nordeste da Ucrânia
    Homem passa por tanque russo destruído na cidade de Trostyanets, localizada no nordeste da Ucrânia Chris McGrath/Getty Images

    Da CNN

    O governador da região de Sumy, no norte da Ucrânia, disse nesta segunda-feira (4) que as tropas russas não ocupam mais nenhuma cidade ou vilarejo na região e se retiraram, enquanto tropas ucranianas estão trabalhando para expulsar as unidades restantes.

    Falando na televisão nacional, o governador Dmytro Zhyvytskyi disse que as tropas russas abandonaram muitos equipamentos na região, que fica na fronteira da Ucrânia com Belarus.

    Desde a última rodada de negociação entre russos e ucranianos na terça-feira (29) o exército russo tem deixado regiões que dominava como parte da evolução dessas conversas. Após esse último encontro, realizado na Turquia, o Ministério de Defesa russo prometeu “reduzir drasticamente” as atividades militares nas regiões de Kiev e Chernihiv, no norte do país.

    Enquanto arrefece a presença e ataques na região norte, o exército russo se movimenta em direção ao domínio do leste ucraniano. Nesta segunda (4), o chefe da administração militar regional de Luhansk, Serhiy Haidai, disse que os russos reúnem um “acúmulo significativo de tropas e equipamentos militares” na região, em aparente preparação para uma ofensiva.

    Em entrevista à CNN, o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, disse duvidar do recuo russo e que na verdade as tropas estariam se reabastecendo e reagrupando. “Os ataques vão continuar e também temos preocupações de ataques maiores nas regiões leste e sul”, disse, apontando uma mudança de estratégia. Visão compartilhada por autoridades dos Estados Unidos, que veem uma “grande mudança de estratégia” dado o fracasso da Rússia para dominar a região norte do país.

    Fontes ligadas ao Departamento de Inteligência americano e a militares europeus defendem que Vladimir Putin está mudando o foco da invasão para o leste ucraniano a fim de “comemorar alguma vitória”, com foco na região de Donbass onde a Rússia apoia separatistas nos últimos anos.

    Imagens reveladas neste domingo (3) mostram cidades em cenários pós-apocalípticos depois das tropas russas deixarem os locais. Na cidade de Bucha, a noroeste de Kiev, foram encontrados pelas ruas ao menos 20 corpos de civis. A Rússia nega o massacre e acusa a Ucrânia de “provocação” e tentar “desacreditar” o exército russo.

    *com informações de Max Hunder, da Reuters