Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Zelensky pede “sanções profundas” que não deem brechas à Rússia

    Presidente ucraniano reuniu-se com líderes europeus e voltou a pedir a entrada do país na União Europeia

    Volodymyr Zelensky responde a jornalistas após encontro com líderes da UE.
    Volodymyr Zelensky responde a jornalistas após encontro com líderes da UE. Divulgação/CNN

    Felipe Romeroda CNN

    O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, reuniu-se com líderes europeus nesta sexta-feira (8) para discutir novas sanções e a entrada do país na União Europeia e cobrou sanções mais duras.

    “Essas sanções devem ser profundas e devem ser executadas plenamente para que a Rússia não tenha oportunidade de se livrar delas”, disse Zelensky a repórteres após o encontro. O ucraniano citou a medida econômica como uma “arma diplomática.”

    A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, estava ao lado de Zelensky e reafirmou o compromisso do bloco com as sanções: “estamos desenvolvendo um sistema que não permita que a Rússia encontre brechas nas sanções.”

    Von der Leyen citou que navios russos estão proibidos de atracar em portos europeus e afirmou que o bloco observa as questões do setor bancário: “as sanções realmente buscam observar todas as relações que existem com a Rússia no setor econômico e financeiro para que possamos aumentar o preço que Putin deve pagar por sua guerra de atrocidades”, disse, citando o ataque a uma estação de trem em Kramatorsk, no leste da Ucrânia.

    “Fiquei chocada ao ver estilhaços do foguete com a inscrição ‘para as crianças’, é inacreditável esse comportamento cínico, que mostra ao mundo a importância de suspender a Rússia do Conselho de Direitos Humanos da ONU”, completou.

    A Rússia nega o ataque à estação nesta sexta-feira, assim como refuta acusações de que tenha alvos civis.

    Separatistas da República Popular de Donetsk (DPR) acusam as forças ucranianas pelo ataque, citando destroços do foguete Tochka-U encontrados nos arredores da estação como evidências: “este sistema de mísseis soviético obsoleto não está em serviço com o DPR, LPR e a Federação Russa, sendo usado ativamente por militantes ucranianos”, afirmaram em seu canal no Telegram.

    União Europeia

    Questionada sobre a entrada da Ucrânia no bloco europeu, von der Leyen respondeu de forma positiva: “estamos trabalhando nesse processo e claro que isso leva um tempo para os trâmites jurídicos”, disse.

    Zelensky tem cobrado essa entrada como uma forma de conseguir garantias de segurança como parte das negociações de paz com os russos.