Secretário de Saúde do Rio defende medidas mais restritivas para conter pandemia

Jorge Darze defende o fechamento de praias e a efetiva limitação do horário de funcionamento de bares e restaurantes até às 22h

Leandro Resende
Por Leandro Resende, CNN   da CNN, no Rio de Janeiro
23 de dezembro de 2020 às 12:07
Movimento na região do Saara, no centro do Rio de Janeiro, em meio a pandemia da Covid-19
Foto: Ellan Lustosa/Código19/Estadão Conteúdo (15.dez.2020)

O secretário municipal de Saúde do Rio, Jorge Darze, afirmou que defende medidas mais restritivas de circulação de pessoas, como o fechamento de praias, para conter o coronavírus no Rio de Janeiro. Darze assumiu o cargo ontem, nomeado pelo prefeito afastado Marcelo Crivella (Republicanos), e fez um apelo para que Jorge Felippe (DEM), prefeito em exercício da cidade, tome medidas sugeridas pelo Comitê Científico da prefeitura no começo de dezembro. 

Leia também:
Parece que todo mundo perdeu o medo da doença, diz infectologista
Brasil tem mais 968 mortes por Covid-19 e se aproxima dos 190 mil óbitos
Doses são suficientes, mas vacina atrasada obriga seleção de grupos prioritários

Entre as sugestões não acatadas ou que não estão sendo efetivamente cumpridas estão, segundo Darze, o fechamento de praias, a efetiva limitação do horário de funcionamento de bares e restaurantes até às 22h e o escalonamento no horário de atividades de trabalho, para evitar superlotação do transporte público. 

“O prefeito Crivella respeita muito o Comitê Científico, mas há três semanas preferiu seguir o entendimento do governador Cláudio Castro e não endurecer as medidas de circulação. Nesse tempo, deu para perceber que é importante medidas mais restritivas para conter o vírus”, afirmou Darze à CNN.

Destaques do CNN Brasil Business:
Caged: em recorde, Brasil criou mais de 414 mil empregos formais em novembro
Petrobras fecha novos contratos de fornecimento com a Braskem
Fundos imobiliários: veja alguns que se saíram bem em 2020, apesar da pandemia

O secretário municipal de Saúde afirmou que espera ver medidas mais restritivas na cidade mesmo que o governo do Rio siga outro caminho. “O STF deu autonomia às cidades para definerem o combate à Covid”.