Governo recorre da decisão que suspendeu Enem no Amazonas

O pedido para não adiar o Enem chega no dia em que o sistema de saúde de Manaus entrou em colapso, sem disponibilidade de leitos de UTI

Renata Agostini
Por Renata Agostini, CNN  
14 de janeiro de 2021 às 18:03 | Atualizado 14 de janeiro de 2021 às 20:54


 

O governo recorreu da decisão da justiça federal que suspendeu a realização das provas do Enem no Amazonas neste final de semana. 

A Advocacia-geral da União levou o recurso ao Tribunal Regional Federal da Primeira Região. A decisão de barrar os exames no estado veio nesta quarta-feira (13). 

O governo argumenta que o Ministério da Educação tomou medidas para garantir a segurança dos inscritos durante a realização das provas e que adiar o exame irá prejudicar os estudantes, já que haverá reflexos nos cronogramas do Fies, do Sisu e do ProUni.

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, havia antecipado em entrevista à colunista da CNN Basília Rodrigues que iria recorrer da decisão.

 

O pedido para não adiar o Enem chega no dia em que o sistema de saúde de Manaus entrou em colapso, sem disponibilidade de leitos de UTI e com dificuldades de obter oxigênio para pacientes entubados.

Nesta quarta-feira (13) Manaus registrou um número recorde de enterros, com 198 corpos sepultados.  O último marco no número de sepultamentos no município havia sido no auge da primeira onda da pandemia no estado do Amazonas, em 28 de abril, com 167 pessoas enterradas.

 

Tela de entrada do aplicativo do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem
Tela de entrada do aplicativo do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem
Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil (28.mai.2020)