Em 8 dias, BH já teve mais da metade das chuvas esperadas para janeiro

Defesa Civil de Minas Gerais possui 138 municípios do estado em situação de emergência por conta das tempestades

Barragem da Mina de Pau Branco transbordou neste sábado (8), na região de Belo Horizonte
Barragem da Mina de Pau Branco transbordou neste sábado (8), na região de Belo Horizonte Reprodução

Juliana Eliasda CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

As chuvas intensas que estão atingindo diversas regiões do estado de Minas Gerais estão, até aqui, bastante acima da média comum ao mês de janeiro, e a expectativa é que continuem em intensidade parecida ao longo da próxima semana, pelo menos.

De acordo com dados da Defesa Civil de Belo Horizonte divulgados neste sábado (8), o volume de chuvas que caiu sobre a capital mineira nestes oito primeiros dias de janeiro já representam, em algumas áreas, até 76% da média comum ao mês.

É o caso do centro-sul da cidade, onde o acumulado de chuvas chegou a 251,4 milímetros até esta manhã. A média histórica para janeiro todo é de 329,1 milímetros.

Na região leste da capital já caiu o equivalente a 65% da média (214 milímetros) e, em Barreiro, 61% (201,4 milímetros). O menor volume foi registrado no distrito de Venda Nova, onde o volume de chuvas acumulado em janeiro até agora foi de 142,2 milímetros, ou o equivalente a 43% do esperado para o mês.

Neste sábado, uma barragem de contenção transbordou no munícipio de Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte, e deixou um trecho da rodovia BR-040 afetado pelo fluxo de lama e água. Os bombeiros informaram que uma pessoa ficou ferida.

Também neste sábado uma rocha desmoronou no lago de Furnas, no município mineiro de Capitólio, atingindo lanchas de passeio e matando ao menos duas pessoas.

Veja o volume de chuvas para todas as regiões de Belo Horizonte, acumulado em janeiro até ás 8h42 do dia 8:

  • Barreiro: 201,4 (61% da média para o mês)
  • Centro Sul: 251,4 (76%)
  • Leste: 214,0 (65%)
  • Nordeste: 162,4 (49%)
  • Noroeste: 194,2 (59%)
  • Norte: 149,4 (45%)
  • Oeste: 217,2 (66%)
  • Pampulha: 150,6 (46%)
  • Venda Nova: 142,2 (43%)

138 municípios em alerta

De acordo com boletim também deste sábado da Coordenadoria de Defesa Civil de Minas Gerais, o estudo têm confirmadas seis mortes causadas pelas chuvas desde o início do período chuvoso, em outubro, além de 13.429 desalojados (pessoas que tiveram que sair de suas casas) e 3.224 desabrigados (pessoas que recorreram a alojamentos públicos como habitação temporária).

A Defesa Civil possui 138 municípios do estado em situação de emergência neste momento.

Mais chuvas na próxima semana

“Essa situação de chuva frequente e forte vai continuar sendo observada de forma generalizada sobre o estado de Minas Gerais e particularmente na região da grande Belo Horizonte, pelo menos até a próxima segunda-feira”, disse à CNN neste sábado a meteorologista da Climatempo Josélia Pegorim.

“A previsão até o dia 12 [quarta-feira], por exemplo, é que ainda chova quase um janeiro [na grande Belo Horizonte]. Então vamos ter um volume de chuvas acumulado até o final da próxima semana que vai passar com facilidade o que seria a média de chuva para o mês inteiro.”

De acordo com Pegorim, é normal que haja um alto volume de chuvas nessas regiões neste período do ano, devido ao fenômeno conhecido como “zona de convergência do Atlântico Sul”.

“É uma combinação particular da circulação de ventos em vários níveis da atmosfera que força a concentração de umidade em uma determinada região”, explicou a meteorologista.

“Vimos este fenômeno no sul da Bahia em dezembro e, agora, essa convergência de ventos está exatamente em cima de Minas Gerais.”

Mais Recentes da CNN