Covid: Estoque de vacinas pode acabar entre hoje e amanhã em Manaus e no Rio

Ministério da Saúde ainda não tem um posicionamento oficial sobre o envio de uma nova leva; São Paulo diz ter estoque ‘controlado’

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O estoque de vacinas contra o coronavírus está próximo do fim em algumas capitais do Brasil. Em Manaus, as doses podem acabar já nesta sexta-feira (12). No Rio, os imunizantes são suficientes até sábado (13). Caso novas doses não sejam recebidas, o calendário de vacinação pode ser alterado.

A situação mais complicada é na capital do Amazonas. O Ministério da Saúde ainda não tem um posicionamento oficial sobre o envio de uma nova leva. Segundo apuração da analista Renata Agostini, que conversou com o governador Wilson Lima (PSC), a situação no interior é um pouco melhor, por uma situação logística, já que as localidades receberam os lotes um pouco depois da capital.

Manaus é uma das cidades mais afetadas pelo coronavírus no Brasil. O sistema de Saúde está pressionado e mais de 500 pacientes já precisaram ser transferidos para outros estados para poder encontrar leitos de UTI – desses, 52 morreram.

No Rio de Janeiro, segundo o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, uma opção analisada é aguardar uma nova remessa de doses da vacina de Oxford. Outra possibilidade é utilizar as doses da Coronavac integralmente, já que parte da remessa foi guardada para garantir a segunda dose de quem já recebeu a primeira.

Mas, para que as “doses reservadas” da Coronavac sejam utilizadas, o Rio aguarda por um aval do Ministério da Saúde sobre o envio de um novo lote até o início de março.

Em entrevista à CNN nesta sexta-feira (12), o secretário estadual de Saúde do Rio, Carlos Alberto Chaves, afirmou que aguarda por um posicionamento do Ministério da Saúde e que o estado será rápido no envio dos novos lotes. “Distribuo as doses no dia seguinte se [o Ministério da] Saúde disser quando vão chegar mais vacinas.”

Profissional de saúde prepara vacinas Pfizer/BioNTech contra Covid-19
Profissional de saúde prepara vacinas contra a Covid-19
Foto: Pedro Nunes/Reuters

São Paulo diz ter estoque necessário

Segundo o secretário municipal de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido, em entrevista à CNN também nesta sexta-feira, a cidade realiza uma “vacinação controlada”. “Não vacinamos quem não estava no protocolo, apenas os prioritários, para ter a quantidade necessária. Não avançamos de forma descontrolada, e isso garante o estoque necessário. Quando recebermos novos lotes, vamos abrir para mais faixa etária de idosos.”

Coronavac

O Instituto Butantan recebeu nesta semana um novo lote do Insumo Farmacêutico Ativo (IFA), produzido na China pela biofarmacêutica Sinovac, para a produção de 17,3 milhões de doses de imunizantes. As entregas ao Ministério da Saúde devem começar no final deste mês.

Fiocruz

Segundo a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a produção da vacinade Oxford/AstraZeneca deve começar nesta sexta-feira (12). A instituição deve entregar 2,8 milhões de doses ao Ministério da Saúde até o dia 19 de março e outros 14 milhões até o fim do mesmo mês.

(Publicado por: André Rigue)

Mais Recentes da CNN