Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Falta de energia em SP: Enel é obrigada a ressarcir o consumidor, diz secretário do Consumidor à CNN

    Wadih Damous questionou quais medidas a companhia tomará após prejuízos causados pela situação; três dias após a chuva, 500 mil clientes da Enel seguem sem luz

    Da CNN São Paulo

    Responsável pela distribuição de energia em 24 municípios da região metropolitana da São Paulo, a Enel é “obrigada a ressarcir os consumidores” que tiveram perdas devido à falta de luz, que ainda afeta 500 mil clientes da companhia três dias após a chuva de sexta-feira (3), segundo o secretário nacional do Consumidor, Wadih Damous.

    Em entrevista à CNN nesta segunda-feira (6), Damous disse que sua pasta cobrará explicações: “Nos compete tomar providências quando há infringência do Código de Defesa do Consumidor”.

    A ausência de energia chegou a atingir 3,7 milhões de pessoas no estado durante o final de semana. À CNN, o governador Tarcísio de Freitas (Republicanos) disse que a interrupção causou também falta de água, enquanto a Enel alega que essa foi a primeira vez que a empresa teve de lidar com um “acontecimento climático desse tamanho”.

    O secretário Nacional do Consumidor questionou a justificativa e afirmou que “ninguém pode controlar ou impedir as forças da natureza, mas medidas preventivas devem ser adotadas para que os prejuízos dessas ações sejam mitigados”. Segundo ele, essas ações competem à Enel.

    “Quais medidas antecedentes foram tomadas para uma eventual catástrofe como essa? E quais serão tomadas daqui em diante para o enfrentamento das consequências desse episódio, e em relação a outros possíveis?”, indagou Damous.

    Para ele, danos aos cidadãos terão de ser ressarcidos, independentemente do contrato firmado pela concessionária.

    A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) apontou que 49% dos bares e restaurantes tiveram prejuízos de leve a moderados pela situação. Moradores do estado relataram à CNN diversos episódios, da perda de alimentos às dificuldades para trabalhar, desde o temporal.

    Veja: Advogada e confeiteira relatam transtornos da falta de luz em São Paulo

    *Publicado por Leonardo Rodrigues. Entrevista produzida por Basília Rodrigues.