Parque do Ibirapuera cobrará para professores treinarem em público com grupo de atletas

Tarifa será adotada a partir de março de 2022; concessionária Urbia ainda não definiu valores

Movimentação no Parque do Ibirapuera, em São Paulo
Movimentação no Parque do Ibirapuera, em São Paulo Roberto Casimiro/Fotoarena/Estadão Conteúdo (6.dez.2020)

Maria Luiza Baccarin*da CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

O Parque do Ibirapuera passará a cobrar de professores e treinadores para trabalhar com grupos de pessoas a partir de março de 2022.

Segundo a assessoria de imprensa da concessionária Urbia, que administra o local, os valores ainda estão sendo definidos de acordo com o número de alunos de cada profissional.

O parque, que foi inaugurado em 1954, é um dos principais locais utilizados para a prática de esportes ao ar livre. São mais de 10 quilômetros em percursos para caminhadas, além de outros espaços disponíveis para outras atividades.

A Urbia assumiu o Parque Ibirapuera no ano de 2020. A concessionária é responsável por conservar o patrimônio cultural e ambiental do local e pela gestão, recuperação, manutenção e melhorias. O acesso ao parque continua gratuito para todas as pessoas.

*Sob supervisão de Julyanne Jucá

Mais Recentes da CNN