Polícia do Paraná prende primeiro suspeito de participação no ataque em Guarapuava

Homem é morador da própria cidade e teria ajudado na parte logística de fornecimento de armas para a quadrilha

Douglas Portoda CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

As forças de segurança do Paraná prenderam, nesta segunda-feira (18), o primeiro suspeito de participação na tentativa de assalto a uma empresa de valores em Guarapuava, na região central do estado, que ocorreu a partir da noite do último domingo (17).

O homem é um morador da própria cidade. Segundo as investigações, ele está ligado à parte logística de fornecimento de armas para a quadrilha, que era formada por cerca de 30 pessoas.

O material coletado até o momento será cruzado com as impressões digitais que estão nos bancos de dados da própria Polícia Civil do Paraná.

A Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) confirmou que os doze veículos usados na ação já foram localizados. Quatro deles foram queimados e usados como barreiras.

Além disso, foram apreendidas nove armas entre 50 BMG, 7,62, 5,56 e calibre 12 Combat, uma pistola Glock 9 mm com seletor de rajada, um carregador de AK 47; munições, capacetes e coletes balísticos, balaclavas, facas, celulares e lanternas, um par de placas de veículo sobressalente (EPS7D07) e R$ 1,4 mil em espécie.

A CNN entrou em contato com o grupo Protege. Em nota, a empresa afirmou que “a ação criminosa contra a Base Operacional em Guarapuava (PR) não obteve êxito em acessar o cofre da empresa”.

“Nos últimos anos, robustos investimentos e aplicação de novas tecnologias ampliaram ainda mais os rígidos padrões de segurança adotados pela empresa o que, certamente, contribuiu para o insucesso da ação criminosa”, complementa o comunicado.

“É importante destacar que a Protege está totalmente comprometida em seguir colaborando com as autoridades responsáveis pelas investigações em curso, e reconhece o relevante trabalho das forças de segurança no enfrentamento ao bando de criminosos que atacou a cidade na madrugada desta segunda-feira”, conclui a nota.

Cerca de 200 policiais foram deslocados para a localidade para ajudar na busca de mais suspeitos, além de três helicópteros e equipes com cães farejadores.

 

Mais Recentes da CNN