Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Rui Costa: Lula pediu que ministros liberem cargos para ajudar Padilha em articulação

    Reunião ministerial durou mais de nove horas e meia; chefes de pastas fizeram balanço dos primeiros seis meses de governo e falaram sobre o planejamento para o próximo semestre

    Rui Costa, ministro da Casa Civil, em 15/06/2023
    Rui Costa, ministro da Casa Civil, em 15/06/2023 Reprodução/ CNN Brasil

    Fernanda Pinottida CNN

    Em São Paulo

    O ministro-chefe da Casa Civil, Rui Costa, disse que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pediu que os ministros deem andamento às nomeações de cargos nas pastas que ainda não foram designados oficialmente para “ajudar” o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, na articulação com o Congresso Nacional.

    Ao ser questionado sobre a nomeação a cargos que estariam “emperrados” nos ministérios, Rui Costa disse: “O presidente reiterou para que todos apoiem e ajudem Padilha a cumprir os compromissos que ele assumiu. Uma vez que tem uma quantidade de cargos que foram indicados na negociação da composição do governo, e os ministérios ainda não colocaram no sistema essas indicações”.

    A reunião ministerial durou mais de nove horas e meia. Segundo Rui Costa, todos os ministros fizeram um balanço dos primeiros seis meses de governo e falaram sobre o planejamento das pastas para o próximo semestre. Além dos ministérios, participaram o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Petrobras.

    O analista de política da CNN Caio Junqueira adiantou que o próprio ministro Padilha cobrou a liberação dos cargos na reunião. Segundo fontes do Palácio do Planalto, ele foi um dos primeiros a falar e disse que existe uma relação de aproximadamente 400 nomes que já foram passados para a sua pasta e que ele deu encaminhamento aos ministérios para avalizarem as nomeações.

    No entanto, os ministérios sequer deram início aos trâmites burocráticos para aprovar esses nomes. Padilha citou nomes travados nesse processo há três meses e teria pedido ainda que os ministros se abram mais aos parlamentares.

    Rui Costa ainda acrescentou: “A articulação política, exercida pelo Padilha, precisa da contribuição de todos. O pedido do presidente foi para haver essa colaboração mútua e todo mundo tocar afinado e no mesmo tom”.

    Daniela Carneiro

    Quando questionado sobre a fala da ministra do Turismo, Daniela Carneiro, durante a reunião, Rui Costa apenas confirmou que ela se estendeu um pouco além do tempo limite de dez minutos para as falas de cada um e acrescentou que outros ministros, em especial as mulheres, também se estenderam.

    “Outras ministras também passaram um pouquinho do tempo, mas é a reparação, dando mais voz e mais tempo para as mulheres”, disse sorrindo.

    Segundo a analista de política da CNN Basília Rodrigues, Lula já teria comunicado à ministra Daniela que faria a mudança no comando do Ministério do Turismo. O presidente teria estendido a permanência da ministra por mais alguns dias, no que tem sido descrito por aliados como uma sobrevida para que ela tivesse uma saída honrosa do cargo.

    “Balanço extremamente positivo”

    O ministro da Casa Civil disse que o governo cumpriu a meta com os lançamentos de programas nas áreas de saúde, educação e infraestrutura. Ele citou ações que devem ser iniciadas ainda no mês de julho, como o lançamento do novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e um programa para levar internet banda larga a todas as escolas do Brasil até o final do mandato.

    “Comemoramos os indicadores econômicos favoráveis, a queda da inflação, a queda da taxa de juros no longo prazo, a queda no preço dos combustíveis, a queda no desemprego”, disse. E acrescentou que o setor do varejo voltou a pedir ao presidente esforços para abaixar a taxa de juros.

    Costa disse ainda que todas as pastas estudam “formas de viabilizar crédito barato para os mais pobres para, a partir da irrigação da base da pirâmide, fazer com que a economia possa crescer”.