Índia aprova início da testagem da vacina russa Sputnik V contra a Covid-19


Giovanna Bronze, da CNN, em São Paulo
17 de outubro de 2020 às 08:10
Vacina russa Sputnik V, contra o novo coronavírus

Órgão indiano de saúde aprovou testes clínicos da Sputnik V; país tem acordo para distribuir até 100 milhões de doses da vacina

Foto: Divulgação/ Fundo de Investimentos Diretos da Rússia (RDIF)

A Controladoria Geral de Drogas da Índia (DCGI, em inglês) aprovou o começo do teste clínico da Sputnik V, vacina russa contra a Covid-19, no país. A informação foi divulgada pelo Fundo de Investimentos Diretos da Rússia (RDIF) neste sábado (17). 

A fase 2/3 dos testes em humanos da vacina contra o novo coronavírus serão conduzidos de maneira randomizada em diferentes centros de saúde, além de levantar um estudo sobre segurança e imunidade do insumo.

De acordo com comunicado à imprensa do RDIF, a organização começou as negociações com a farmacêutica Dr. Reddy’s Laboratories Ltd.em setembro. O grupo indiano conduzirá a testagem e fará a distribuição das 100 milhões de doses acordadas da Sputnik V na Índia.

Assista e leia também:

Índia fecha acordo e receberá 100 milhões de doses da vacina russa Sputnik V
Bahia assina acordo para distribuir até 50 milhões de doses da Sputnik V
Anvisa deve se reunir com laboratório do DF para produzir vacina russa

A Índia é o segundo país no mundo com mais casos de Covid-19 e o terceiro com mais mortes no mundo, segundo o painel de monitoramento da Universidade Johns Hopkins. De acordo com a instituição, o país acumula 7.432.680 casos confirmados e 112.998 mortes em decorrência da doença.

Além da Índia, segundo o RDIF, a vacina russa já está na terceira fase de testes em Emirados Árabes Unidos, Venezuela e Belarus. Na Rússia, a Sputnik passa por uma testagem específica para pré-registro, com 40 mil voluntários.

A vacina russa Sputnik V

A vacina russa será testada no Brasil, nos estados do Paraná e da Bahia, conforme anunciado pelos respectivos governos estaduais. No entanto, a Sputnik V ainda não recebeu aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para iniciar a testagem.

Em 13 de outubro, a agência informou que está nas tratativas e já fez reuniões com membros do governo do estado do Paraná e do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) para o registro da Sputnik V.

“Essas reuniões são de caráter preliminar, antecipando possíveis demandas futuras”, informou.