Vacina da Sinopharm contra a Covid-19 tem 79% de eficácia, diz empresa

A companhia já solicitou às autoridades da China a autorização para o uso do imunizante

Da CNN
30 de dezembro de 2020 às 04:51 | Atualizado 30 de dezembro de 2020 às 13:05


A vacina contra Covid-19 da farmacêutica chinesa Sinopharm apresentou 79,4% de eficácia, informou a empresa nesta quarta-feira (30). A companhia já solicitou às autoridades da China a autorização para o uso do imunizante.

A tecnologia da vacina da Sinopharm é semelhante à da Coronavac, desenvolvida pelo laboratório Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. Ela usa uma versão inativada do vírus incapaz de se reproduzir em células humanas.

Assista e leia também:
Luta contra a Covid-19 avança com remédio imunizante e mais 2 vacinas na fase 3
Após evento adverso, Peru retomará testes de vacina da Sinopharm contra Covid-19
Entenda por que os testes de eficácia de vacinas podem dar resultados diferentes
Com 1,5 milhão de doses, último lote da Coronavac chega a São Paulo

A taxa de eficácia foi determinada com base na análise provisória dos testes clínicos de fase 3. Ela é inferior aos 86% anunciados pelos Emirados Árabes em 9 de dezembro, com base em dados preliminares de ensaios realizados pelo país.

Vacina contra Covid-19 da Pfizer/BioNTech
Vacina contra Covid-19
Foto: Owen Humphreys/Pool via Reuters (8.dez.2020)

Um porta-voz da Sinopharm se recusou a explicar a diferença dos números e disse que os resultados detalhados serão divulgados mais tarde, sem fornecer um cronograma.

Eficácia da Coronavac

Segundo pesquisadores da Turquia, a Coronavac tem 91,25% de eficácia e é provável que essa taxa aumente com base em dados de testes em estágio avançado. O país é o segundo local de teste a fornecer resultados sobre o imunizante chinês.

Os pesquisadores, parte do conselho científico do governo turco, afirmaram que nenhum sintoma importante foi detectado durante os testes da Coronavac na Turquia, exceto por uma pessoa que teve reação alérgica.

Já no Brasil, o Instituto Butantan informou na semana passada que a vacina atingiu um nível de eficácia superior a 50% nos testes clínicos, acima do mínimo necessário para que seja solicitado o registro junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Contudo, o aguardado anúncio do percentual exato de eficiência foi adiado pela terceira vez.

Nesta quarta, o instituto disse que os resultados finais de eficácia da vacina, que incluem as conclusões sobre a fase 3, devem ser submetidos à Anvisa até 7 de janeiro. De acordo com o governo paulista, com essa previsão ainda será possível iniciar a vacinação no estado na data prevista, dia 25 de janeiro.

(Com Reuters)