Variante da Covid-19 pode ter acelerado colapso do sistema de saúde do Amazonas


Leandro Resende
Por Leandro Resende, CNN  
14 de janeiro de 2021 às 16:12 | Atualizado 14 de janeiro de 2021 às 16:17
Cemitério em Manaus (AM) durante a pandemia da Covid-19
Cemitério em Manaus (AM) durante a pandemia da Covid-19
Foto: Bruno Kelly/Reuters (31.dez.2020)


O chefe da sala de acompanhamento da Fundação Vigilância em Saúde do Amazonas, Daniel Barros, afirmou à CNN que a rapidez do colapso do sistema de saúde do estado pode ser culpa da nova variante da Covid-19 que circula por lá. 

Segundo ele, trata-se de uma hipótese que ajudaria a explicar o aumento “muito acelerado” de internações e casos graves de Covid-19 registrados a partir do dia 28/12. 

“Essa mutação pode favorecer a transmissão do vírus. Não sabemos ainda se ela faz os casos serem mais graves, mas essa aceleração que vimos causou um colapso total em 18 dias”, afirmou Barros. 

A Fiocruz Amazônia ainda não garante que essa variante identificada no Amazonas é mais transmissível, e que isso poderá ser concluído a partir da observação de novos casos. 

Segundo Daniel Barros, além dessa variante do vírus, outra razão que pode explicar a explosão de casos graves e a falta de oxigênio nos hospitais foi o progressivo desrespeito ao isolamento social registrado a partir sobretudo do mês de setembro. 

Desde setembro que os leitos para Covid-19 estão com ocupação superior a 70%. Com as eleições, esse índice passou para cerca de 80%, até chegar aos 100% de ocupação dos leitos para o novo coronavírus em todo o estado. 

“Os sinais vieram. Muita gente sem máscara, população sem respeitar as regras de isolamento. E não há serviço que suporte essa extrema procura das pessoas pelo sistema de saúde.”